Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 22 de agosto de 2017

    Paulo Corrêa apresenta Projeto para transformar Parque dos Poderes em “Parque Governador Pedro Pedrossian”

    © Divulgação
    Admirador e ex-secretário do governador Pedro Pedrossian, o deputado estadual Paulo Corrêa apresentou na sessão de hoje (22), da Assembleia, um Projeto de Lei que denomina “Governador Pedro Pedrossian” o complexo Parque dos Poderes, formado também pelo Parque das Nações Indígenas.

    O projeto é uma homenagem ao ex-governador, que faleceu nesta terça-feira, aos 89 anos, e que foi o responsável pela idealização e construção dos dois parques, além de outras obras importantes para o Estado.

    Paulo Corrêa, que na semana passada também apresentou um projeto que proíbe por tempo indeterminado o desmatamento no Parque dos Poderes, disse que o local é um legado de Pedro Pedrossian e uma reserva natural da Capital.

    “Eu sempre fui admirador do Dr. Pedro, porque além de ser o melhor governador que Mato Grosso do Sul já teve, ele é minha inspiração como político e criou esse parque, em 1982, que hoje é um das riquezas do nosso Estado. Por isso eu defendo não só a preservação do Porque dos Poderes e Parque das Nações Indígenas, como também acho justo que ele passe a ser chamado de Governador Pedro Pedrossian”, explicou.

    Paulo Correa foi Secretário de Habitação do Governo Pedro Pedrossian, entre os anos de 1991 e 1994, sendo um dos responsáveis pela realização do Programa Desfavelamento, que construiu mais de 12 unidades habitacionais e extinguiu as favelas existentes na época em Campo Grande. Foi assim, que aos 33 anos, iniciou a vida pública.

    “Dr. Pedro foi um dos responsáveis pelo meu ingresso na vida pública. Muitas vezes ele nos chamava à Governadoria antes das 4 horas da manhã. Era um homem muito à frente do seu tempo, idealizador e sempre muito sensível às necessidades da sociedade. Vai deixar saudades, e mais do que isso, um grande legado e um exemplo de homem trabalhador e honesto”, finalizou.

    Fonte: ASSECOM
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS