Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 24 de agosto de 2017

    Lancha naufraga na Grande Salvador; 22 corpos já foram resgatados do mar

    Profissional da equipe de resgate retira criança vítima de naufrágio em Itaparica © Xando Pereira/ Ag. A Tarde
    Uma lancha naufragou em Salvador na manhã desta quinta-feira (24) na Baía de Todos-os-Santos. Vinte e dois corpos já foram resgatados, segundo a Marinha.

    De acordo com a Astramab (Associação de Transportadores Marítimos da Bahia), entidade que reúne donos de embarcações, a lancha Cavalo Marinho 1 tinha capacidade pra 162 pessoas.
    Barcos resgatam vítimas de naufrágio na Baía de Todos-os-Santos, na Grande Salvador, nesta quinta © Reprodução/TV Record
    As primeiras informações da Capitania dos Portos apontam que 21 pessoas feridas foram resgatadas e outras 22 morreram no acidente. Ainda não é possível dizer quantas pessoas estavam a bordo. As previsões iniciais apontam 130 passageiros.A travessia das lanchas, que demora cerca de 40 minutos, foi suspensa.

    Um dos sobreviventes do naufrágio relatou ter sido coberto pela embarcação durante o acidente, que ocorreu sob chuva forte. Matheus Ramos, 23, conta que estava sentado mais próximo ao mar e que a lancha virou por cima dele. "Fui atingido no ombro esquerdo. Quando emergi, dei de cara com uma lona e tive que rasgá-la para poder respirar."

    O pai do rapaz, o teólogo Marival Ramos, 51, havia pego uma lancha diferente, apenas meia hora antes da que o filho embarcou. Ao saber do acidente, correu para o terminal marítimo. "É um alívio muito grande vê-lo bem."

    O naufrágio ocorreu por volta das 6h30 no momento em que a lancha deixava Mar Grande, no município de Vera Cruz, na região metropolitana de Salvador.

    No horário, o público mais comum na travessia é de trabalhadores e de estudantes que passam o dia na capital baiana. A Marinha e a Capitania dos Portos estão no local do acidente para auxiliar o Corpo de Bombeiros no resgate às vítimas.

    Eduardo Aguadê 65, é um dos sobreviventes. Ele conta que a chuva e os fortes ventos fizeram entrar água na embarcação. A lancha virou e eles caíram na água. A maioria conseguiu subir em botes que também caíram na água. Ele ajudou um idoso que estava segurando-se numa mochila e diz que o resgate demorou –os dois ficaram cerca de duas horas à deriva.

    O mau tempo na região tem deixado o mar agitado durante toda a semana. Na quarta-feira (23), as travessias no local onde houve o acidente chegaram a ser interrompidas.

    Familiares de sobreviventes e de desaparecidos aglomeram-se em frente a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Vera Cruz, na ilha de Itaparica. Um homem, abalado, aguarda informações sobre o filho que está desaparecido. Parentes no local criticam a falta de informações sobre as vítimas.

    O naufrágio na Bahia ocorre quase dois dias após uma outra embarcação, desta vez, no Pará, afundar com dezenas de pessoas a bordo.

    CONDOLÊNCIAS

    Em nota oficial, o presidente Michel Temer "lamentou profundamente as perdas trágicas", manifestou solidariedade às famílias das vítimas e colocou a estrutura do governo federal para ajudar na busca de sobreviventes.

    "As providências para apurar as causas dos acidentes e punir os responsáveis estão sendo tomadas, em todas as três esferas de governo", disse.

    O presidente também lamentou o naufrágio na terça-feira (22) de um barco no rio Xingu, no Pará. Segundo o Corpo de Bombeiros, houve 23 sobreviventes e 21 corpos foram resgatados.

    O governador Rui Costa (PT) decretou três dias de luto oficial, contados a partir desta quinta, por conta da tragédia.

    Rui lamentou o acidente e informou que todos os esforços estão sendo feitos para dar apoio aos atingidos pelo naufrágio. "Manifesto minha solidariedade aos familiares. Todas as forças do governo do Estado estão mobilizadas para dar assistência e prestar socorro às vítimas", afirmou.

    O mesmo protocolo foi cumprido pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). "Neste momento de profunda dor, presto minha solidariedade às vítimas e seus familiares e, ao mesmo tempo, informo que todos os órgãos da prefeitura estão envolvidos para ajudar no atendimento social, psicológico e nos primeiros socorros às pessoas."
    © Aristeu Chagas/Coofiav/Folhapress
    © Aristeu Chagas/Coofiav/Folhapress
    © Aristeu Chagas/Coofiav/Folhapress
    © Aristeu Chagas/Coofiav/Folhapres


    Fonte: Folha de São Paulo


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS