Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    03/08/2017

    Em reunião da CPI, Eduardo Rocha afirma que culpados por irregularidades devem pagar

    Encontro ocorreu na tarde dessa quarta-feira

    © Divulgação
    O deputado estadual Eduardo Rocha, líder do PMDB na Assembleia Legislativa e vice-presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) das Irregularidades Fiscais e Tributárias de Mato Grosso do Sul, destacou no encontro dessa quarta-feira (2), que os culpados devem pagar por seus crimes.

    Segundo o parlamentar, o grupo não tem a função de investigar ações de empresas particulares e sim se houve prejuízo para o Estado. "Nosso papel é saber se ocorreu algum prejuízo aos cofres públicos de Mato Grosso do Sul e quem são os responsáveis"

    "Após o término de nossas análises, os culpados devem pagar e devolver o que foi tirado do povo sul-mato-grossense. Essa CPI tem começo e vai ter fim", enfatizou o deputado.

    Na ocasião, foi relatado que das 1300 notas analisadas até agora, 72% apresentaram irregularidades. O presidente da CPI, deputado Paulo Correa, do PR, informou que a empresa [JBS] também não cumpriu parte dos acordos com relação à ampliação e modernização das unidades, aumento do número de vagas de emprego e aumento da quantidade de abate bovino.

    Com relação aos requerimentos apresentados na última reunião antes do recesso, sendo esta a primeira após o retorno, alguns já foram respondidos e entre eles, conforme o representante do governo do Estado, o assessor jurídico Felipe Mattos, foi publicado no Diário Oficial o decreto Nº14.784, do dia 20 de julho, que torna mais rígida a fiscalização dos Termos de Ajuste Especial. 

    Excepcionalmente, a reunião dessa quarta-feira, ocorreu às 14h, por compromisso de um dos deputados, mas a partir da próxima semana, retoma seu horário normal, às 15h30, permanecendo todas as quartas-feiras, no Plenarinho da Assembleia Legislativa de MS.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS