Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 23 de agosto de 2017

    Corumbá, Coxim e Dourados recebem atendimento com ‘Cassems Itinerante’ neste sábado

    O programa foi criado com o objetivo de amenizar as dificuldades encontradas pela população do interior do Estado no acesso à medicina especializada.

    © Divulgação
    O programa de assistência à saúde Cassems Itinerante leva atendimento especializado até três municípios no próximo sábado (26). O programa foi criado com o objetivo de amenizar as dificuldades encontradas pela população do interior do Estado no acesso à medicina especializada e atua pontual, mas eficazmente, nos locais onde não há disponibilidade desses serviços na Rede Própria ou na Credenciada. Corumbá recebe atendimento com os psiquiatras Jackson Figueiredo e Danielly Palermo, com a geriatra Aline Eloisa e com a nutricionista Melissa de Andrade. A psiquiatra Karina Cestari e a endocrinologista Ana Xavier atendem em Coxim, já Dourados recebe atendimento com o psiquiatra Antônio de Carvalho e com a neurologista Tatiane Novais.

    Criado em 2013, o programa de assistência à saúde “Cassems Itinerante” já levou atendimento especializado até Aquidauana, Coxim, Corumbá, Dourados, Jardim, Miranda, Naviraí e Três Lagoas. Só em 2016, o programa atendeu quase sete mil pessoas espalhadas pelo interior do Estado.

    Para a diretora de Assistência à Saúde da Cassems, Maria Auxiliadora Budib, o sucesso do programa depende muito da parceria dos profissionais de saúde em aceitar o deslocamento para realizarem os atendimentos no interior. A diretora afirma ainda que antes de escolher as cidades que irão receber o programa, é feito um levantamento sobre a demanda de cada município.

    “Nós criamos o cronograma do programa sempre baseado nas necessidades locais, analisando a viabilidade administrativa e também do profissional e, dessa forma, montamos o calendário que é divulgado com antecedência para os nossos beneficiários”, explica a diretora.

    O neurocirurgião Eurico Feltrin é um dos médicos que atendem no “Cassems Itinerante” e, segundo ele, o programa é muito importante para a população do interior. “Vejo que a Cassems, com a realização do Cassems Itinerante, avança de forma pioneira para o interior do Estado, onde o profissional médico, especialista, está menos disponível. Esse assunto é muito discutido e pouco se avançou em todo o Brasil, por isso, penso que a Cassems desenvolve uma importante função social a que se destina, cuidando da vida de seus mais de 200 mil beneficiários nestes 15 anos”, pontua Feltrin.

    Moradora de Corumbá, a beneficiária Mara Regina da Silva Santos destaca a importância do programa para a população do interior, que é a que mais sofre com a escassez de médicos. “Acho de suma importância a vinda de especialistas para o interior. O deslocamento para Campo Grande não é fácil por motivos de trabalho. Então, quando ele vem atender aqui na nossa cidade, fica mais fácil. Então, para mim, é um programa muito importante”, conta Mara.

    A beneficiária Lenice de Lima e Silva, também de Corumbá, foi atendida pela primeira vez pelo programa e elogia a gama de especialistas que ele oferece. “É a primeira vez que sou atendida pelo programa e fiquei surpresa. Eu morava em Campo Grande e não precisava desse tipo de atendimento, ao me mudar para Corumbá ouvi falar do programa e procurei atendimento. Estava procurando um especialista que até em Campo Grande é difícil de encontrar e o encontrei aqui oferecendo atendimento. Achei uma iniciativa fantástica”, afirma Lenice. 
    O presidente da Cassems, Ricardo Ayache, explica que a falta ou a má distribuição de médicos, que tem sido tema de debates nacionais, levaram a Caixa dos Servidores a criar o programa. “Nós sabemos o quanto sofremos com a ausência de profissionais em nossas regionais e hospitais. Começamos a criar um grupo de profissionais diferenciados, interessados em caminhar conosco neste atendimento itinerante e que, sobretudo, tenham a esperança de minimizar os problemas de atendimento no interior”, ressalta.

    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS