Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 21 de agosto de 2017

    ARTIGO| Reformando a própria vida

    Por: Waldir Guerra *
    Caro amigo, ou amiga; desculpe, mas ando muito angustiado com a atual situação política do Brasil. Não sei o que você pensa, mas a cada dia que passa vou me convencendo mais de que o atual governo não conseguirá aprovar as Reformas tão necessárias para sairmos desse atoleiro. 

    Tenho pressa – talvez por conta da minha idade, sei lá – e ficar esperando pelo ano de 2019, ainda sem saber se elegeremos uma pessoa competente para comandar um bom novo governo, me parece uma coisa difícil de acontecer. 

    Pensando muito a cerca disso, e por ver que nada posso fazer para ajudar o país a sair dessa crise, resolvi fazer algumas reformas em mim mesmo e melhorar a minha própria vida.

    Devagar estou transferindo a terceiros certas responsabilidades administrativas nos negócios, assim como fiz com uma das paixões da minha vida: pilotar aviões; apesar de que ainda sento na frente e como copiloto fico de olhos abertos nas atitudes do piloto e nos instrumentos – hoje são quase todos high-tech e nem sei muito bem operá-los. Se tenho saudades de pilotar? Claro que tenho, mas deixei numa boa quando me vi ficando velho entrando pelos meus setenta. 

    Até tenho alertado muitos amigos quando os vejo se queixando da vida de que se cuidem melhor, pois lhes digo que estão ficando velhos e quando me respondem: e tu falando assim? Respondo: Claro, pois eu já estou velho e tu não ainda. Hoje, por já ter entrado nos oitenta, me sinto no direito de dizer aos que estão envelhecendo que se cuidem melhor, pois eu já passei por isso (e rio junto com eles). 

    Assim, hoje resolvi não me preocupar tanto com os problemas macros que acontecem pelo mundo e mesmo com a nossa crise política brasileira. Vou me preocupar mais comigo e com as pessoas que estão ao meu redor; vou trata-las melhor e daquelas que me afastei, vou me reaproximar. Vou procurar adotar a filosofia de Baruch Spinoza para mim e para os que estão ao meu redor vou usar a doutrina cristã. 

    Como você, eu também estou horrorizado com os atentados terroristas em Barcelona desta semana passada. Uma van em alta velocidade atropelando e matando dezenas de pessoas. Para que tanto ódio neste mundo, meu Deus? E ainda usando Teu nome, ou o nome de um discípulo Teu, por que?

    Isso e tantos outros atentados que aconteceram no velho mundo me fizeram pensar muito e refletir que nada posso fazer para ajudar a acabar com esses ataques terroristas, mas posso, sim, eu mesmo apagar as mágoas que criei contra algumas pessoas e que fui carregando nesses anos todos. Apagar principalmente aquelas mágoas originadas em negócios e que me afastaram da convivência diária com algumas pessoas especiais.

    Tolstoi já disse que “Todo mundo pensa em mudar o mundo, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo”.

    Mahatma Gandhi, o homem que levou o povo indiano a independência do domínio britânico em 1947 ensinou com toda propriedade: – Mude a si mesmo, “Você deve ser a mudança que você quer para o mundo”. Antes de querer mudar o mundo, você deve mudar a si mesmo. Fazendo isso, as pessoas que estão ao seu redor perceberão a mudança e também mudarão. 

    Assim, porque tenho pressa, e apesar de saber que não consigo mudar o mundo, vou procurar seguir os ensinamentos de Mahatma Gandhi e melhorar a minha própria maneira de viver. 

    *Membro da Academia Douradense de Letras; foi vereador, Secretário do Estado e deputado federal (wguerra@terra.com.br)


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS