Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 24 de agosto de 2017

    ARTIGO| "O homem de Miranda"

    Por: Alfredo Arruda *
    Pedro Pedrossian tinha origem armênia, fato a que sempre se referiu com orgulho. Tinha fascínio pelos pais e, até onde sei, foi um filho exemplar. Nasceu em Miranda, cidade do eixo ferroviário entre Campo Grande e Corumbá. O pai era comerciante e lutava com imensas dificuldades; era imigrante e tinha problemas com a língua, como todos os estrangeiros tinham. Pedro Pedrossian estudou o segundo grau em Campinas e, posteriormente, formou-se em Engenharia em São Paulo. Engenheiro, jovem, foi nomeado para a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, que tinha sede em Bauru.

    Entusiasta incontrolável pelo progresso, tinha lampejos de sonhador e determinação de realizador. Era bom de serviço e de relacionamento, cujos predicados fizeram dele diretor-geral da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil. Realizou a melhor administração que a Noroeste teve, fazendo a estrada de ferro se tornar orgulho da região e dos ferroviários que trabalhavam nela. Destacou-se, e logo viram nele um potencial candidato a governador.

    Muitas histórias foram contadas, com várias versões dos fatos, como sempre acontece. O Sr. Lúdio Coelho se consolidara como candidato pela poderosa UDN, mas o PTB articulava a candidatura do Pedrossian em coligação com o PSD. Um grande amigo me relatou este fato com euforia, o meu amigo William Maksoud. Este era membro histórico do PTB, um grande médico, humanitário, e tinha imenso prestígio em Campo Grande. Ele me disse que o Pedro saiu candidato mais pela ativa posição do PTB do que pelo empenho do PSD, que tinha outros planos.

    Pedro saiu candidato e as cidades do eixo ferroviário deram a ele uma monumental votação. Ganhou a eleição e se tornou o mais jovem governador da história do Estado. Foi um maestro na transformação do Estado. Fundou duas universidades e criou os centros educacionais, aquinhoando quase todas as cidades do Estado com estas estruturas. Abriu novas estradas de penetrações, a fim de dar acesso a novas fronteiras de exploração rural. Modernizou o Estado e despertou o sonho dos jovens de participar de um novo tempo. Atingiu os jovens e contaminou-os com suas ilações. Tornou-se líder inconteste de novas ideias e novos sonhos. Nunca me separei deste talentoso líder; seguindo-o até hoje, quando todo o povo desta terra o perdeu para sempre. 

    Agradeço ao Grande Arquiteto por ter tido a honra de viver na época de Pedro Pedrossian, ter podido conhecer a força de um grande sonhador. Tinha o talento que Deus lhe deu para materializar seus sonhos. Em tudo que sonhou, havia o recheio do amor ao povo deste recanto. Fui amigo inseparável de todos os seus momentos, dos sofrimentos e das glórias. Era um belo ser humano, erguia o olhar para o horizonte diante das amarguras, procurando sempre vislumbrar novas esperanças. Ganhou e perdeu como todos neste mundo. A diferença é que não guardava rancor nas derrotas e sabia dar vitórias aos verdadeiros vencedores.

    Foi o melhor governador de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul em todos os tempos. Em Campo Grande, tem a sua imagem no que fez na Saúde e na Educação. As universidades de Campo Grande e de Dourados, os hospitais universitários, o Hospital Rosa Pedrossian e o Hospital do Câncer. Por fim, a Universidade do Estado de Mato Grosso do Sul. Nunca fizeram sombra ao seu governo, mesmo somando todos os outros governadores: era um magnífico sonhador. Tenho uma alegria imensa por ter sido seu amigo desde que vivo aqui. Vivi e vivo no seu tempo: é um tempo de magia. 

    O Parque dos Poderes é de concepção genial, não gastou com urbanização; amante da natureza, preservou o cerrado como jardim. Lá ele plantou o centro cultural. É lindo! O Parque das Nações Indígenas, o Parque Jacques da Luz, nome do seu grande amigo, o Jaquinha, que era um homem do povo. Homenageava o povo por meio dos seus símbolos. Por fim, o lindo conjunto do Parque Ayrton Senna e o Hospital Rosa Pedrossian. 

    Até a história parou no tempo, para admirar as consequências que estas maravilhas trouxeram a este povo. Todas as saídas de Campo Grande são por uma grande avenida, que ele criou. Nós o perdemos e o Grande Arquiteto o levou, mas creio que, onde está, foi recebido com festa e respeito. Era um democrata, e seu maior legado foi ter feito tudo isto por meio do voto popular: ele nos ensinou o valor da vontade do povo. Foi, de longe, o melhor de todos.

    *Médico


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS