Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 17 de julho de 2017

    Vereador Carlão apresentou 566 indicações que resultaram em inúmeros serviços executados

    © Divulgação
    O vereador Carlos Augusto Borges (Carlão PSB), 1º secretário da Mesa Diretora da Casa de Leis, apresentou no primeiro semestre parlamentar dessa legislatura 566 cobrando a melhoria dos serviços públicos e obras de infraestrutura nos bairros da Capital. Carlão destacou que o atual prefeito Marcos Marcello Trad tem buscado um bom convívio com Legislativo, atendendo as indicações.

    “Dessas 566 indicações a maioria, cerca de 60% foram, pedidos para a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisep) cobrando serviços para melhorias nas vias públicas da Capital, como operação tapa-buracos, recapeamento e encascalhamento e patrolamento nas ruas sem asfalto. Um exemplo do atendimento por parte da prefeitura foi o encascalhamento e patrolamento das ruas sem pavimento do Bairro Nova Lima, limpeza, roçada, manutenção da iluminação pública e a dedetização do Ceinf do mesmo bairro”, detalhou Carlão.

    O parlamentar também cobrou o reforço nas rondas ostensivas da Guarda Municipal no entorno das escolas e Ceinfs e obteve resposta positiva da secretaria que já está organizando inclusive projeto com este fim. A Sisep também realizou operação tapa-buracos e sinalizações de trânsito no Bairro Colúmbia em atendimento a indicações do vereador. Também foram respondidas indicações de encascalhamento e patrolamento no Jardim Noroeste e Leon Denizart Conte. Operação tapa-buracos em ruas do Bairro Nova Lima na região Segredo, ainda, no Jardim Antartica na Região Lagoa.

    “São serviços essenciais e que quando executados com celeridade conseguimos melhorar a qualidade de vida da população. Fico muito satisfeito porque antes, na gestão passada não tínhamos nossas indicações respondidas e executadas. Agora estamos contribuindo para que a prefeitura faça os serviços urgentes conforme o apontamento da comunidade”, concluiu Carlão.

    Fonte: ASSECOM
    Por: Janaina Gaspar
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS