Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 10 de julho de 2017

    Trio é condenado por latrocínio e ocultação de corpo de ex-vereador

    Alceu Bueno foi assassinado no dia 20 de setembro; processo correm em sigilo

    Kátia, Elpídio e Josian, presos apontados como responsáveis pela morte do ex-vereador Alceu Bueno (Foto: Alcides Neto/Arquivo)
    Os três envolvidos no assassinato do ex-vereador Alceu Bueno foram condenados por latrocínio e ocultação de cadáver. Como o processo é mantido em segredo de Justiça, a condenação só se tornou pública nesta segunda-feira (10), quando a sentença do juiz Waldir Peixoto Barbosa, da 6ª Vara Criminal de Campo Grande, foi publicada no Diário Oficial da Justiça.

    Nenhum outro detalhe sobre a decisão, nem o tempo de condenação, é possível consulta no processo.

    Conforme a publicação, Katia de Almeida Rocha, 24 anos, namorada de Elpídio Cesar Macena do Amaral, 26, e Josian Edson Cuando Macena, 21 anos, foram condenados nos termos dos artigos 211 e 157 do Código Penal.

    O crime 

    Alceu Bueno foi morto na noite do dia 20 de setembro do ano passado logo após sair da empresa que era dono, o Depósito Bueno, localizado na avenida Coronel Antonino - região norte da Capital –, segundo apurou a Polícia Civil.

    O corpo foi encontrado carbonizado na manhã do dia seguinte.

    Ainda conforme a polícia, o local onde o cadáver foi encontrado – no Parque dos Poderes – foi utilizado só para a desova, sendo lá também onde o corpo foi incendiado.

    Um vídeo, gravado pelas câmeras de um condomínio, mostraram a ação dos assassinos e foi usado na investigação.

    O veículo de Alceu, um Land Rover Freelander 2, só foi encontrado três dias depois, em Ponta Porã – a 323 km de Campo Grande. O utilitário estava completamente queimado, o que dificultou a identificação de imediato.

    Trama 

    Segundo a investigação, conduzida pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros), Kátia, Elpídio e Josian planejaram e assassinaram o ex-parlamentar.

    A vítima teria sido atraída por Kátia, com quem Alceu mantinha um relacionamento, para a casa onde ela morava no bairro Jardim Seminário na noite do delito.

    No local, Elpídio e seu sobrinho Josian o esperavam. O primeiro usou uma tábua de carne e o segundo um martelo para atacar o ex-vereador.

    O objetivo era roubar o dinheiro que estava com Alceu Bueno e além disso, mas o fator ciúmes também levou Elpídio a planejar o crime junto com os comparsas.

    Fonte: campograndenews
    Por: Anahi Zurutuza
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS