Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 10 de julho de 2017

    TRÊS LAGOAS| SEINTRA orienta pais e responsáveis a redobrarem atenção com crianças durante as férias escolares

    Além do risco no trânsito, haja vista que muitas crianças brincam na rua, o uso do cerol em pipas também preocupa a Diretoria de Trânsito

    © Divulgação
    Boa parte dos alunos da Rede Municipal de Educação (REME) de Três Lagoas está em sua primeira semana de férias, por isso a Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Trânsito (SEINTRA), por meio da Diretoria de Trânsito, com apoio da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SEMEC), elaboraram algumas dicas aos pais e motoristas para garantir a segurança e boas lembranças dos dias de lazer.

    De acordo com coordenadora de Educação do Trânsito da SEINTRA, Carolina Cruz Feliciano, esse período é quando se registra um aumento no número acidentes envolvendo crianças. “É importante que os pais sempre orientem seus filhos a brincarem em locais seguros e que os motoristas, principalmente ao trafegarem pelos bairros, redobrem sua atenção, já que uma criança pode entrar de repente no caminho”, explica.

    Conforme dados levantados pela OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) “Criança Segura Brasil”, com base em dados fornecidos pelo Ministério da Saúde por meio do Datasus, acidentes de trânsito é uma das principais causas de morte de crianças de um a 14 anos no Brasil. Todos os anos, cerca de 2 mil crianças dessa faixa etária morrem e outras 14 mil são hospitalizadas devido a isso no país.

    Segundo Creuza Ramos, diretora de Trânsito, “todos devem colaborar para um trânsito mais seguro, os pais, o estado, motoristas, ciclistas e até mesmo os pedestres. Além disso, a conscientização das crianças é muito importante, pois alguns limites simples podem evitar atropelamentos”, ressalta.

    Especialistas afirmam que uma criança precisa de 4 segundos para distinguir entre um objeto parado e em movimento. Além disso, elas não têm o mesmo campo de visão dos adultos, não têm a noção exata de distância e velocidade. Possuem, ainda, uma menor concentração para os estímulos do ambiente, por isso, precisam ser orientadas por seus responsáveis.

    Carolina ressalta ainda que os pais orientem seus filhos a brincarem em praças e outros locais mais apropriados, como a Lagoa Maior. “Sabemos que nem todos os bairros possuem uma infraestrutura como essa, porém, quando tiver é ideal que as crianças, com a supervisão de um adulto, utilizem esses locais. Caso a rua seja a única opção, que essa seja constantemente observada por um responsável e que esse deixe claro o risco e quais cuidados as crianças devem ter”, orienta.

    CUIDADOS

    RUA: A rua não é lugar de brincadeiras, existem outros locais mais seguros para jogar futebol, empinar pipa e andar de bicicleta. Ensine seu filho que existem lugares mais apropriados para brincar em segurança, como o quintal de casa, os parques, praças e as quadras esportivas, por exemplo.

    CALÇADA: Caminhar com as crianças sempre do lado de dentro da calçada: o adulto deverá caminhar pela calçada paralelamente à pista de rolamento e a criança do lado de dentro, protegida.

    BICICLETA: Não acostume seu filho a andar de bicicleta nas ruas. Leve-o em um parque ou praça onde possa observá-lo e garantir a segurança. As manobras feitas com o skate, por exemplo, devem ser realizadas em praças ou locais apropriados para tal prática.

    APARELHOS: Os pais devem negociar com seus filhos a questão do uso de videogames portáteis, tablets e fones de ouvido, pois podem distrair as crianças comprometendo a segurança nas ruas.

    Pais ou responsáveis não devem deixar as crianças brincarem sozinhas na rua, em locais movimentados, passeios, estacionamentos de carros e entradas de garagens. Elas distraem-se facilmente e não têm noção do perigo.

    CUIDADO COM CEROL

    Férias do meio do ano e meses com ventos, ambiente ideal para empinar pipa ou papagaios/ pandorga, como alguns conhecem, tanto que a Prefeitura de Três Lagoas, por meio da Secretaria de Esportes, Juventude e Lazer (SEJUVEL), apoiou a realização do “Festival de Pipas”, organizado pela Comunidade Luterana de Três Lagoas, no último domingo (09).

    No entanto, algumas pessoas insistem em utilizar o “cerol”, que é um composto de vidro triturado (ou limalha de ferro) e cola que é aderida em linhas para que essa se torne afiada e permita “cortar” e derrubar outras pipas em uma competição nada saudável.

    “Como a linha é muito fina e extremamente cortante, pedestres e principalmente motociclistas se ferem ao passar por ela. Muitas pessoas já morreram e outras tiverem ferimentos graves devido a isso”, ressalta Creuza.

    Além disso, confeccionar e utilizar “cerol” são crimes e podem se enquadrados em dano, se houver destruição a um imóvel ou móvel, como estragar a cerca elétrica. No caso de uma pessoa ficar ferida, quem for o responsável pela linha responderá por lesão corporal e até por homicídio, no caso de morte, como já houve registros em Três Lagoas e Mato Grosso do Sul.

    Fonte: ASSECOM
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS