Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sábado, 22 de julho de 2017

    Posição de partidos sobre denúncia contra Temer causa conflito interno

    Parte das legendas decidiu punir deputados que votarem a favor do prosseguimento da denúncia; votação ocorre em 2 de agosto

    © Marcos Corrêa/PR
    A determinação de alguns partidos em definir como os deputados devem se posicionar diante da denúncia do presidente Michel Temer por corrupção passiva tem causado conflitos internos entre parlamentares e lideranças partidárias.

    A votação sobre o prosseguimento da denúncia feita pela Procuradoria Geral da República será votada no plenário da Câmara em 2 de agosto. Parte da base do governo - PMDB, PP, PR e PSD - decidiu "fechar questão" sobre a votação, e poderá punir parlamentares que votarem contra Temer.

    "Meu partido fechou questão [contra a denúncia], mas eu e outros colegas tomamos posição de acatar a denúncia e deixamos isso muito claro", afirmou Fábio Mitidieri (PSD-SE) ao G1.

    "Sou a favor da denúncia, só o futuro vai dizer [como ficará a relação dele com o partido]. O voto, numa situação como essa, não é uma questão regimental do partido, é de foro íntimo", disse Jorge Boeira (PP-SC).

    Por causa dos conflito, deputados insatisfeitos defendem a a antecipação da chamada "janela partidária", o que permitiria aos parlamentares a mudança de sigla ainda em 2017. De acordo com a regra atual, os parlamentares podem trocar de legenda sem a punição de perda de mandato se a mudança for feita na janela partidária. A próxima janela iniciam em março do ano que vem.

    Fonte: NAOM
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS