Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sábado, 10 de junho de 2017

    Parlamentares, Governo e servidores estaduais promovem diálogo e avançam nas negociações salariais

    Foi definido, que no dia 3 de julho será feita uma nova reunião para dar continuidade às transações de reajuste salarial

    © Divulgação
    Com o intuito de discutir o reajuste salarial dos servidores, o deputado estadual Coronel David (PSC), participou de uma reunião com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), representantes do Fórum dos Servidores e outros pares da Casa de Leis, na sede da governadoria nesta sexta-feira (9) em Campo Grande. 

    Após o debate, que durou mais de duas horas, o parlamentar considerou o encontro importante para dar continuidade às negociações salariais. “Essa reunião teve a participação dos deputados, representando a comissão criada pelo poder legislativo estadual afim de promover a interlocução dos dirigentes sindicais com o Governo do Estado sobre o reajuste. O Governo do Estado sinalizou que algumas providências seriam tomadas e que mantém a negociação em aberto, e isso é muito positivo. A assembleia continuará fazendo o seu papel de estar presente e buscará o diálogo para que essa reposição será garantida ao funcionalismo público estadual”, frisou Coronel David. 

    No dia 3 de julho está marcada uma nova reunião para dar continuidade às transações de reajuste salarial. Participaram do encontro, o secretário de Administração e Desburocratização, Carlos Alberto Assis e o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, além de outros membros da comissão de articulação na Assembleia Legislativa, a deputada Mara Caseiro (titular), Professor Rinaldo, Paulo Siufi e Cabo Almi. 

    Retrospecto positivo

    Em 2016, Coronel David representou os interesses dos militares em diversas conquistas na negociação salarial junto ao Governo do Estado, como o abono nominal, irredutibilidade nos vencimentos dos militares, escalonamento, aplicação do quinquênio, revisão geral anual de reajustes de tabela e criação do nível VII da tabela salarial dos militares. Também batalhou pelo reajuste de 20% para 30% na designação de praças e oficiais para serviço ativo, calendário oficial de cursos, bacharelado em direito para ingresso no QOPM e QOBM, realização de cursos de formação de sargentos com 300 vagas e concurso para médicos, policiais militares e bombeiros.


    Fonte: ASSECOM
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS