Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 13 de junho de 2017

    OPINIÃO| Compreenda como Justin Trudeau está subvertendo o Canadá

    O mais novo virtuoso da esquerda chique, Trudeau é a favor do aborto, e um árduo proponente da legalização da maconha
    Justin Trudeau, o Primeiro Ministro do Canada, parece estar definitivamente comprometido em sabotar o seu próprio país. Com políticas progressistas radicais, que parecem determinadas a subverter a ordem moral, social e religiosa do Canada, o refinado esquerdista blasé de ternos engomados e penteado impecável é o mais novo queridinho da suntuosa elite globalista, com suas exageradas afetações politicamente corretas, e aquele incomensurável amor pelo islamismo, que está tão em voga entre a esquerda. Com a promoção da chamada “política de portas abertas”, o que realmente interessa a Trudeau é seguir religiosamente a cartilha do politicamente correto. Determinado a fingir que o terrorismo é um problema tão vago como sua capacidade cognitiva, Trudeau simplesmente não quer reconhecer os perigos a que expõe o Canada em sua irrevogável, exigente e extrema promoção do multiculturalismo. O que ele quer mesmo é obrigar todos os canadenses a aceitar o islamismo, e expor – sem consideração pelas consequências – os seus conterrâneos aos inefáveis e trágicos perigos que são inextrincavelmente crônicos do islã. Deliberadamente ignorando os recentes atentados que ocorreram na Inglaterra, e que estão tornando-se cada vez mais frequentes, Trudeau, mais recentemente, expôs todo o veneno de seu viés esquerdista, ao promover a demonização do cristianismo. Na hipócrita elegia da “igualdade para todos”, a esquerda quer mesmo é a primazia e a superioridade do islã, do socialismo e do globalismo, sobre tudo e sobre todos, não importa quão hipocritamente deva agir para atingir esse objetivo. Enxergando no cristianismo uma ameaça para os seus maléficos propósitos destrutivos, a esquerda globalista, aos poucos, usando idiotas úteis como Trudeau, começa a consolidação de um reinado de tirania e terror, que, a princípio, apresenta-se inocentemente como multiculturalismo global “inofensivo e educativo”. Nada mais inapropriado, trágico e abominável. 
    Justin Trudeau exerce o cargo de Primeiro Ministro do Canadá desde de 4 de novembro de 2015
    Sem dúvida nenhuma, a contundente e maliciosa retórica anticristã faz parte do discurso de Trudeau. Como qualquer candidato a fantoche vitimista, a peremptória e ostensiva promoção do islamismo ocorre com a degradação do cristianismo, e com declarações que buscam deliberadamente depreciar os cristãos canadenses. Tendo permitido que milhares de refugiados muçulmanos emigrassem para o Canada para começar uma nova vida longe da guerra e do sofrimento, o favoritismo de Trudeau para com estes não é nem de longe um segredo: as mesmas regalias e benefícios não são estendidos a cristãos e judeus vítimas de perseguição em países do Oriente Médio como Síria e Iraque, onde o Estado Islâmico faz, dentre estes, vítimas diariamente. Para tornar a situação ainda mais vexatória, Trudeau angariou a simpatia do Estado Islâmico, que enxerga nele uma espécie de aliado para a concretização do grande califado islâmico. Trudeau, por sua vez, parece vangloriar-se cada vez mais de seus estreitos laços com a comunidade muçulmana internacional, sem esconder, debaixo de sua fachada prepotente e arrogante, a maléfica impiedade oculta que persiste nos perigos arregimentados por ameaças terroristas em potencial. 

    Evidentemente, o que não falta são enxurradas de bajulações da mídia globalista para o premier canadense, que celebra o fato do mesmo arriscar a segurança de bebês, por segurá-los em pé, usando apenas uma das mãos, e por desejar ser interpretado no cinema por Meryl Streep. Seguindo a cartilha do politicamente correto como uma múmia teleguiada pelo totalitarismo radical da esquerda chique, Trudeau é um homem sem opiniões próprias e sem uma política de preservação doméstica. Visto como uma espécie de herói por permitir milhares de refugiados a instalarem-se em seu país, a islamização do Canada, viabilizada pelas políticas integracionistas do Primeiro Ministro canadense, há muito deixou de ser a vaga expressão de uma incoerência elitista, para tornar-se uma ameaça real, que virá com toda a intempestiva agressividade, efusiva hostilidade e inesperada surpresa que o terrorismo muçulmano tem a oferecer. Intransigente e obstinado, Trudeau refuta todas e quaisquer argumentações que tentem expor o islamismo por aquilo que ele realmente é: cruel, assassino, perverso e hostil. Não obstante, em virtude de tais “qualidades”, Trudaeu demonstrou ser a peça perfeita para viabilizar a agenda globalista em território canadense: não discute ordens, apenas as obedece, enquanto aparenta ser o indivíduo que manda. Como todos sabemos, a esquerda não tem compromisso algum com o ser humano, mas com a implementação de uma agenda política. Desta maneira, não é de admirar que Trudeau, sendo quem é, e defendendo o que defende, sirva para estes propósitos, tão bem como o veneno serve a morte.


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS