Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sábado, 20 de maio de 2017

    Prefeito de Costa Rica surge como opção ao governo do Estado

    Depois do escândalo provocado pelos proprietários da JBS em que delatou a classe política de MS num esquema sórdido de propina, o nome do prefeito Waldeli dos Santos Rosa surge como uma opção para 2018. Ele nega a pretensão, pelo menos por enquanto.

    © Divulgação
    Na quarta-feira (18/5), o Brasil ficou chocado com a delação dos proprietários da JBS, grupo empresarial que atua em vários setores da economia, principalmente no setor frigorífico, quando revelaram ao país como funciona os pagamentos de propinas aos políticos, e o pior, uma gravação que mostra o presidente da República, Michel Temer, maior autoridade do país como beneficiário de dinheiro de caixa 2, e sua fragilidade como chefe da nação, ao se interagir com o empresário Joesley Batista numa conversa que estava sendo gravada, quando deixou claro que fazendo uso de seu poder, agia para interferir no andamento das investigações da operação Lava Jato. 

    Em Mato Grosso do Sul, os ex-governadores Zeca do PT e André Puccinelli e também o atual governante Reinaldo Azambuja, se beneficiam da cobrança de propina das empresas frigoríficas instaladas no estado. O efeito politico negativo das revelações de crime e corrupção e que atinge diretamente as maiores lideranças do estado, deixa um espaço vago para que possa surgir novas lideranças para concorrer o governo do estado em 2018.

    O nome do prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa passa a ser especulado por lideranças, sendo que o prefeito ganhou notoriedade depois que a Rede Globo veiculou matérias a nível nacional que destaca à administração de Santos Rosa. O prefeito já demonstrou interesse em disputar o cargo de governador, mas diz que antes é necessário esperar a definição de Puccinelli e Reinaldo, políticos que segundo ele, mantém um bom nível de liderança politica e apoio popular.

    Waldeli disse que por enquanto vai ficar focado na sua administração, e sugere os nomes dos senadores Moka e Simone como opção para 2018, caso André não possa concorrer. Disse ainda que o atual governador é um nome forte, e sua reeleição só poderá ser interrompida caso as investigações comprove todas as denúncias. 

    O prefeito de Costa Rica que está no quarto mandato de prefeito, revela que no período que está na política, conseguiu ganhar muitos apoios, em especial da classe de vereadores em todo o estado, sem dizer que tem a simpatia de alguns deputados.

    Por enquanto é especulação, mas o nome do prefeito Waldeli deve ganhar força dentro do cenário político, tendo em vista que à população sul-mato-grossense deve apostar em novas lideranças.


    Fonte: Gazeta de Costa Rica
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS