Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 15 de maio de 2017

    Pagamento de fiança de Puccinelli fica para próxima segunda

    Até o dia 22, o ex-governador terá que pagar R$ 1 milhão

    André Puccinelli chega em unidade da Agepen para colocação de tornozeleira eletrônica © Bruno Henrique
    O ex-governador André Puccinelli (PMDB) teve o pedido de prorrogação do prazo para o pagamento da fiança de R$ 1 milhão estendido por mais cinco dias úteis. Até a segunda-feira (22) que vem, André terá que pagar o valor para não ser obrigado a cumprir prisão em regime fechado.

    A confirmação sobre a extensão do prazo é do diretor de cartório da 3ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande, Danilo Mafei. O advogado de defesa de Puccinelli, Renê Siufi, confirmou também que o pedido de extensão do prazo de pagamento foi acatado.

    Renê Siufi tentou retirar a cobrança da fiança, mas a solicitação foi negada pela juíza federal substituta Monique Marchioli Leite, da 3ª Vara Federal da Capital.

    Com isso, a estratégia da defesa foi pedir o alongamento do prazo de pagamento, que vencia hoje, às 18h. O juiz Fábio Luparelli foi o responsável por analisar o pedido da defesa do ex-governador André Puccinelli.

    Anteriormente, Siufi alegou que Puccinelli estava com R$ 2,3 milhões bloqueados na conta e por isso não podia pagar o valor requerido pela Justiça. Esse bloqueio é referente à outra fase da Operação Lama Asfáltica, desencadeada ano passado.

    MÁQUINAS DE LAMA

    Polícia Federal, Controladoria Geral da União e Receita Federal deflagraram na última quinta-feira (11) a quarta fase da Operação Lama Asfáltica - Máquinas de Lama.

    Objetivo da ação policial é desarticular organização criminosa que desviou recursos públicos com direcionamento de licitações, superfaturamento de obras, aquisição falsas ou ilícita de produtos e corrupção de servidores. A estimativa é de que o prejuízo causado aos cofres públicos seja de aproximadamente R$ 150 milhões.

    Esta nova fase da investigação resulta da análise dos materiais apreendidos em fases anteriores. De acordo com a polícia, são evidentes as provas de desvios e superfaturamentos em obras públicas, com o direcionamento de licitações e uso de documentos falsos que justificavam a continuidade e o aditamento de contratos, com a conivência de servidores públicos.

    Os valores repassados a título de propina eram justificados, principalmente, com o aluguel de máquinas.

    As investigações demonstraram ainda que estas negociações eram, em sua maioria, falsas e simulavam origem lícita aos recursos, razão pelo qual a operação recebeu o nome de Máquinas de Lama.

    Investigações também apontaram novas motivações para o pagamento de propinas aos servidores e tentativa de lavagem de dinheiro, bem como a obtenção de benefícios e isenções fiscais.

    Fonte: CE
    Por: IZABELA JORNADA
    Link original: http://www.correiodoestado.com.br/cidades/campo-grande/pagamento-de-fianca-de-puccinelli-fica-para-proxima-segunda/303994/
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS