Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 17 de maio de 2017

    DOURADOS| Lançamento do Livro SATILÍRICO

    O mês de maio foi o escolhido para o lançamento do livro SATILÍRICO, do Poeta Emmanuel. A primeira edição do livro, em 1995, encontrava-se esgotada há muito tempo.

    © Marco Aurélio Prates
    A partir de 2016, a UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) colocou, em sua lista de leituras recomendadas para os vestibulares, as obras de Emmanuel. No vestibular de 2016 o livro indicado foi CANTOS DE TERRA e este ano, 2017, a obra SATILÍRICO será objeto de questões da prova de Literatura. Para atender à grande demanda gerada entre essa geração de jovens vestibulandos, professores de cursos preparatórios e colégios de todo o estado, o poeta, por meio de sua editora BAZAR DE POESIA, providenciou a segunda edição, cujas etapas acompanhou pessoalmente – outra marca original de suas obras, que são elaboradas quase artesanalmente e concebidas integralmente pelo autor. Da capa ao tipo de papel, das fontes das letras às disposições das páginas, tudo é trabalho do poeta.

    A primorosa segunda edição estará nas livrarias do país, a partir do dia 19 deste mês, ao lado das obras também recomendadas para os vestibulares da UFGD: “Livro sobre Nada”, de Manoel de Barros; “Cem Anos de Solidão”, de Gabriel Garcia Marques; e “Número Zero”, de Umberto Eco. A inclusão da obra do poeta Emmanuel nessa lista de grandes nomes da literatura é altamente significativa para um artista do interior de Mato Grosso do Sul e vem coroar de êxito a trajetória de um dos poetas mais aplaudidos e admirados pelo público de inúmeros lugares onde se apresenta pelo país. Convidado para os eventos literários mais importantes do Brasil (FLIP – Feira Literária Internacional de Parati, COLI – Congresso de Leitura do Brasil, Unicamp, Feira do Livro de Porto Alegre, Bienal do livro de Brasilia, etc), apresenta-se e participa de mesas e debates ao lado de autores e artistas renomados, personalidades e especialistas, que demonstram sua admiração e reconhecimento por meio de novos convites. 

    SATILÍRICO foi o quinto livro do poeta. São poemas urgentes, ‘’jornalísticos’’, a maioria publicada em seu tempo, na imprensa, ou distribuída de forma clandestina pelas ruas (na época a censura era implacável, alguns deles foram rodados em mimeógrafo e sem assinatura).

    A obra, uma brincadeira com a dor e com o riso, expande-se entre alguns números em meio a tantas letras: 1964-1994- trinta anos de história cantada em folhetins, pelos bares, universidades, nos palanques, nas portas das fábricas e dos palácios. Encantada nas escolas, assustada nos metrôs, nos hospícios, na roça e na favela.

    Segundo Rita Pacheco Limberti, que assina o Posfácio do livro “ .... , lança seus tentáculos sobre os problemas de um país inteiro, desenhando a sombra “chapliniana” do adorável “palhaço vagabundo”, que faz rir enquanto coloca o dedo na ferida dos problemas políticos e sociais. Por isso ele é sátiro e é lírico, é SATILÍRICO: o humor é sutil, irônico, cômico, critica com ironia; a composição poética inspira o canto, a lira, o sentimento, a emoção. Tudo junto e misturado num ser dual e camaleônico, revela uma alma satírica que escarnece dos sentidos desgastados e das teorias hipócritas, e mostra um coração lírico, que se enternece e se solidariza com o próximo, o distante, o local, o universal. 

    ...Curiosamente, publicado em 95, o livro tornou-se atemporal: os temas transpuseram os umbrais do novo século e sua linguagem visual – marca conceptual do poeta deste e de todos os seus livros – garante, com sua vocação folhetinesca, a veemência da arte engajada e de protesto. As folhas de papel reciclado, a fonte das letras e a concepção gráfica personalíssima do designer contemporâneo Lula Ricardi constituem, em si, eloquente linguagem estética daquilo que submerge no conteúdo. A capa de papel cartonado de tom cinzento – como o sombrio clima daqueles tempos -, sobretudo as letrinhas que ilustram a capa, evocam o modo furtivo de engendrar um discurso interdito, por meio da velha linotipia das gráficas nos porões, clandestinas...

    Que a poesia possa como uma sementinha na roça e que a alegria seja toda nossa!

    Serviço

    Lançamento 

    Dia: 19/05

    Horário: 19h

    Local: Livraria CANTO DAS LETRAS

    Endereço: Av. Weimar Torres,2440 – Centro – Dourados – MS

    Contato: 67-3427-0203


    Fonte: ASSECOM
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS