Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 16 de maio de 2017

    Desembargadores do TRF-3 decidem libertar investigado na Lama Asfáltica

    Quinta Turma decidiu hoje por benefício a André Cance

    © Arquivo
    A Quinta Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região deferiu pedido de liminar da defesa do ex-secretário-adjunto de Fazenda, André Cance, para que ele seja libertado. O integrante da administração de André Puccinelli no Governo do Estado fora preso na quinta-feira (11), depois de a Polícia Federal cumprir mandado de prisão preventiva na Operação Máquinas de Lama, 3ª fase da Lama Asfáltica.

    O advogado José Wanderley Bezerra Alves entrou com habeas corpus ontem (15) e o relator do pedido foi o desembargador Paulo Fontes. O deferimento foi dado hoje, conforme andamento processual disponível no TRF-3.

    Os desembargadores também determinaram o envio de email para a 3ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande para solicitar informações e comunicar o deferimento da liminar. Não foi divulgado detalhes da decisão.

    André Luiz Cance estava recolhido no Centro de Triagem, que fica no bairro Noroeste, em Campo Grande.

    Não foi confirmado se a decisão pode beneficiar também Mirched Jafar Júnior, dono da Gráfica Alvorada, e Jodascil da Silva Lopes, professor e ex-coodenador de administração e apoio escolar da Secretaria de Estado de Educação (SED). Os três também tiveram mandados de prisão preventiva decretados, mas Lopes só se apresentou na Superintendência da Polícia Federal ontem.

    A advogada do ex-coordenador da SED, Andrea Flores, explicou ontem que o investigado estava na zona rural de Jardim e por isso não conseguiu apresentar-se antes. Ela confirmou que entrou com pedido de revogação da prisão na sexta-feira (12) e não descartava recorrer com habeas corpus também.

    ENVOLVIMENTO

    O ex-secretário adjunto de Fazenda de Mato Grosso do Sul, André Cance é um dos investigados da Operação Lama Asfáltica que mais enriqueceu com os crimes de lavagem de dinheiro e recebimento de propina.

    Segundo dados da Receita Federal, o patrimônio da ex-mulher dele, Ana Cristina Pereira da Silva, passou de R$ 1,1 milhão em 2010 para R$ 16 milhões em 2014.

    Na casa de Ana Cristina foram apreendidos documentos que comprovam prática de lavagem de dinheiro. Um deles mostra que o empresário João Baird pagou R$ 150 mil para MC Reflorestadora e outros R$ 50 mil para a ex-mulher de Cance. Como Ana não faz parte do quadro societário da empresa, ficou comprovado que se trata de lavagem de dinheiro.

    As investigações apontaram ainda que Cance intermediava os pagamentos e negociações do ex-governador André Puccinelli (PMDB) com a Gráfica Alvorada e JBS. Além disso, ele recebia pagamentos da Ice Cartões, empresa responsável por emitir documentos para o Detran.

    MÁQUINAS DE LAMA

    Polícia Federal, Controladoria Geral da União e Receita Federal deflagraram, na quinta-feira (11), a quarta fase da Operação Lama Asfáltica - Máquinas de Lama.

    Objetivo da ação policial foi desarticular organização criminosa que desviou recursos públicos com direcionamento de licitações, superfaturamento de obras, aquisição falsas ou ilícita de produtos e corrupção de servidores. A estimativa é de que o prejuízo causado aos cofres públicos seja de aproximadamente R$ 150 milhões.

    Esta nova fase da investigação resulta da análise dos materiais apreendidos em fases anteriores. De acordo com a polícia, são evidentes as provas de desvios e superfaturamentos em obras públicas, com o direcionamento de licitações e o uso de documentos falsos que justificavam a continuidade e o aditamento de contratos, com a conivência de servidores públicos.


    Fonte: CE
    Por: RODOLFO CÉSAR E TAINÁ JARA
    Link original: http://www.correiodoestado.com.br/cidades/desembargadores-do-trf-3-decidem-libertar-investigado-na-lama/304044/
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS