Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 16 de maio de 2017

    Adolescente teve ajuda para enterrar o feto, diz polícia - IMAGENS FORTES

    Por causa dos procedimentos do aborto era impossível a menina abrir a cova sozinha

    © Divulgação
    A adolescente que foi obrigada pela mãe a abortar o filho teve a ajuda do amigo da mãe para cavar a cova na sua própria residência, é o que afirma o delegado da Policia Civil, Bruno Henrique Urban. 

    O delegado contou, durante uma coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (16), que quando chegou ao local onde foi enterrado o feto, se deparou com uma cova de aproximadamente 1 metro, e duvidou da versão da adolescente, pois nas mãos da menina não tinha vestígios de que ela teria feito força.

    O perito médico legista, Carlos Eduardo, do Instituto Médico de Odontologia Legal (IMOL), afirmou que era impossível ela fazer a escavação. "Ela ficou dois dias em jejum, que pode causar fraqueza. Nesses dois dias ela ficou sem tomar líquido e ficou desidratada." Disse o médico. 

    © Divulgação
    O médico ainda afirmou que a adolescente teve uma anemia profunda devido a perda de sangue por causa do aborto e que isso faz com que a pessoa perca no mínimo 500 ml de sangue que seria impossível ela ter realizado todos os procedimentos sozinha.

    Uma testemunha que mora perto da residência disse aos policiais que viu um homem entrar na residência por volta das 12h do dia 15 de março, data do aborto, e viu ainda que ele foi pegar algumas ferramentas no vizinho, que seriam a enxada e a pá.

    O amigo da mãe, além de fazer conseguir os medicamentos para o aborto com a enfermeira, cavou a cova para enterrar o feto de 5 meses.

    Segundo a delegada Aline Sinoti, a adolescente ainda velou o feto, pois ele foi encontrado coberto de flores e um terço.


    © Divulgação
    © Divulgação
    Fonte: JD1
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS