Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sábado, 15 de abril de 2017

    Temer decide manter todos os ministros citados nas delações

    © Divulgação
    O presidente Michel Temer deixou claro que não vai demitir nenhum dos oito ministros alvos de inquéritos por terem sido citados nas delações da Odebrecht na Lava Jato.

    A avaliação no Palácio do Planalto é que uma saída em massa prejudicaria ainda mais o governo, num momento em que a ordem é tentar aprovar a agenda de reformas no Congresso.

    "Temer decidiu que não vai demitir ninguém", disse ao Blog um interlocutor do presidente.

    Há cerca de um mês, Temer chegou a criar uma espécie de "protocolo", segundo o qual ministro citado em delação só deixará o governo se for denunciado pelo Ministério Público e virar réu na Lava Jato.

    Os oito ministros alvos de inquéritos são: Eliseu Padilha (PMDB; Casa Civil); Moreira Franco(PMDB; Secretaria-Geral); Gilberto Kassab (PSD; Ciência, Tecnologia e Comunicações); Bruno de Araújo (PSDB; Cidades); Aloysio Nunes (PSDB; Relações Exteriores); Marcos Pereira (PRB; Indústria e Comércio Exterior); Blairo Maggi (PP; Agricultura); Helder Barbalho (PMDB; Integração).

    Todos os ministros negam envolvimento em irregularidades.

    Deputado defende saída de ministros

    Ao Blog, o deputado Miro Teixeira (Rede-RJ) defendeu que os ministros citados deixem os cargos.

    Para Miro Teixeira, a decisão de deixar o governo precisaria partir dos próprios ministros.

    "Isso não vai acontecer. Temer vai seguir a regra que criou. Demissão só depois que o ministro virar réu", reforçou um auxiliar de Temer.


    Fonte: G1
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS