Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    19/04/2017

    Pesquisa nacional mostra benefícios do saneamento já sentidos em Campo Grande

    © Divulgação

    Estudo do Instituto Trata Brasil revelou que a universalização do saneamento básico traria ao país benefícios econômicos e sociais de R$ 537,4 bilhões em 20 anos. De acordo com a pesquisa, seriam necessários investimentos de R$ 317 bilhões ao longo do período para que toda a população tenha acesso aos serviços de água e esgoto.

    O atendimento de 100% da população com água tratada e com coleta e tratamento de esgoto reduziria substancialmente o número de internações na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) por infecções gastrointestinais, diminuiria ainda mais o índice de mortalidade infantil e eliminaria graves problemas de saneamento básico que ainda afetam milhões de brasileiros.

    © Divulgação
    Em Campo Grande a população já colhe os bons frutos do acesso ao saneamento básico adequado. Na Capital, onde o acesso a água tratada já chega a mais de 99% da população e mais de 80% dos imóveis contam com o serviço de coleta e tratamento de esgoto, o gasto com internações por diarreias caiu 77% em 12 anos. O valor, que era de R$ 48.336,37 em 2003 caiu para R$ 10.763,45 a cada 100 mil habitantes em 2015. Além disso, o número de óbitos em decorrência desse tipo de doença caiu 65%. O índice de crianças hospitalizadas na Rede Pública de Saúde com sintomas de diarreia também caiu em 23%.

    Os indicadores de Campo Grande têm base em dados do IBGE (Censo, Contagem e estimativas da população), cruzados com informações do Departamento de Informática do Ministério da Saúde, o Datasus. A pesquisa mostra que em 2003 a taxa de internações na Rede Pública de Saúde por diarreias era mais de 157 a cada 100 mil habitantes. Em 2015, o índice passou para 13 pessoas na mesma faixa populacional. Uma redução de 91%.

    O prazo de 20 anos estabelecido no estudo do Instituto Trata Brasil é baseado no Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab), que foi elaborado e lançado pelo governo federal em 2014 e que propõe metas de investimento para o setor para duas décadas. Por isso, o estudo considera o período de 2015 a 2035 para fazer o balanço da universalização. O Instituto Trata Brasil é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), formado por empresas com interesse nos avanços do saneamento básico e na proteção dos recursos hídricos do país.

    Na capital de Mato Grosso do Sul, a Águas Guariroba, empresa da Aegea Saneamento, já tem uma meta para universalizar o serviço de esgoto coletado e tratado. Estão sendo investidos R$ 636 milhões para que até 2025 Campo Grande seja uma das primeiras capitais brasileiras com 100% da população atendida com a rede de coleta e tratamento de esgoto. Atualmente o serviço já está disponível para mais de 80% dos imóveis. A concessionária já investiu 1 bilhão nos sistemas de água e esgoto de 2006 até 2016.

    Além dos benefícios decorrentes da universalização com a redução das despesas com saúde, o estudo nacional estima também os ganhos da produtividade do trabalho decorrentes da melhora das condições físicas e de habitação das pessoas, a valorização imobiliária e a renda propiciada pelos investimentos na expansão da rede de água e esgoto.

    Relatório completo ITB


    Fonte: ASSECOM
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS