Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

    Sindicalista preso em ação da PF será levado hoje à Justiça Federal

    PF fez operação contra pornografia infantil em Campo Grande e Bonito. (Foto: Marina Pacheco)

    Preso em operação da Polícia Federal contra o tráfego de arquivo com pornografia infantil na internet, o sindicalista Moisés Sanches Marques, 38 anos, será levado à Justiça Federal na tarde desta quinta-feira (1º). De acordo com despacho da 5ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande, a audiência de custódia foi marcada para 14h10.

    Moisés foi preso em flagrante ontem durante cumprimento de mandado de busca e apreensão da operação Patruus II. Foram apreendidos HDs (disco rígido) que armazenavam imagens de crianças e/ou adolescentes em poses pornográficas e de nudez em computador utilizado pelo preso em seu local de trabalho.
    Moisés foi preso ontem em flagrante. (Foto: Reprodução/Facebook)

    De acordo com a investigação da PF, Moisés usava o computador do Sindasp-MS (Sindicato dos Agentes de Segurança Patrimonial Públicos de Mato Grosso do Sul), localizado na Vila Piratinga, para armazenar imagens de pornografia infantil. Conforme apurado pela polícia, o equipamento era de uso exclusivo dele e foi apreendido.

    Moisés é segurança patrimonial e trabalhava como diretor de comunicação e relações públicas no sindicato. Ontem, logo após a prisão, a assessoria jurídica do Sindasp foi acionada. Contudo, a partir da audiência de hoje, ele deve contratar um advogado ou solicitar um defensor público. A justificativa para as imagens seria a assinatura de um site com conteúdo adulto e, dentre mil fotos pornográficas, havia imagem de criança.

    A operação cumpriu 12 mandados de busca e apreensão, sendo 11 em Campo Grande e um em Bonito. Além da prisão do sindicalista, um jovem foi preso em flagrante com 200 gramas de maconha. Ainda na tarde de ontem, uma mulher de 26 anos, que teve o computador apreendido durante a manhã, foi à superintendência da PF, prestou depoimento e acabou indiciada por armazenamento de imagens.

    Cada equipe policial tinha um perito, que fazia a varreduras nos arquivos. A localização dos suspeitos foi obtida a partir da união de uma empresa norte americana com a PF.

    Conforme o delegado que comandou a investigação, Marcelo Alexandrino de Oliveira, a empresa localizou IPs (número que computador recebe quando se conecta à internet ) que faziam armazenamento ou compartilhamento dos conteúdos de pornografia infantil e repassou para a Polícia Federal.

    Em julho deste ano, a primeira etapa da operação da PF prendeu um cadeirante que abusava da sobrinha e distribuía as imagens. O crime de abuso foi investigado pela Polícia Civil.


    Fonte: campograndenews
    por: Aline dos Santos
    Link original: http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/sindicalista-preso-em-acao-da-pf-sera-levado-hoje-a-justica-federal

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS