Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 21 de novembro de 2016

    UTI do Hospital Cassems de Três Lagoas completa um ano revelando histórias de recuperação

    Foto: Ernesto Franco

    Na noite da última quinta-feira (17), o Hospital Cassems de Três Lagoas realizou uma cerimônia para comemorar um ano da implantação da UTI Adulto e Neonatal. Além de celebrar o atendimento, o evento também fez alusão ao Dia da Prematuridade e a Cassems convidou as mães e pais dos bebês internados na Neonatal desde a sua criação. Só neste ano, de janeiro até outubro, a UTI recebeu 280 pacientes, 245 na Adulto e 35 na Neonatal.

    A vigilante Franciele Aparecida Barbosa teve suas filhas gêmeas internadas na UTI Neonatal e, para ela, o empenho da equipe fez toda a diferença para a recuperação das gêmeas. 

    “O atendimento foi maravilhoso e, se não fosse o empenho de toda a equipe da Neonatal, minhas filhas não estariam aqui hoje. Ser mãe de gêmeos não é fácil e de gêmeos prematuros é muito mais difícil ainda. Só tenho que agradecer a Cassems por estar ao meu lado nesse momento difícil”, conta Franciele.

    Genival Guimarães também passou pela experiência de ter uma filha internada na UTI Neonatal e, para ele, todo o sofrimento envolvido é amenizado pelo bom atendimento. “O atendimento foi ótimo, não tenho nada do que reclamar, a doutora ficou dia e noite cuidando da nossa filha. Agora que ela teve alta a gente está mais aliviado, mas é um sentimento que só quem passa sabe como é. É muita dor, sofrimento ver um filho nosso naquela situação, por isso quero agradecer muito a todas as pessoas da Neonatal envolvidas no atendimento a minha filha”, agradece Guimarães.

    O filho da dona de casa Fabiana dos Santos Peixoto foi um dos primeiros a ser internado na UTI Neonatal do Hospital Cassems. Para Fabiana, além do material humano, a estrutura fez diferença na recuperação do filho. 

    “Eu tive um parto prematuro e a UTI Neonatal do Hospital da Cassems foi uma maravilha para mim. Eu tive muita sorte, porque a UTI inaugurou num dia e no outro nasceu o meu filho. Eu fui muito bem atendida e o meu filho também. O atendimento de toda a equipe foi ótimo, além da estrutura que é muito boa e hoje o meu filho está aqui firme e forte”, afirma Fabiana.

    A enfermeira coordenadora da UTI Neonatal do Hospital da Caixa dos Servidores de Três Lagoas, Tássia Souza, explica como é o dia a dia dos profissionais e qual tipo de atendimento a equipe oferece. 

    “A Neonatal existe para atender bebês prematuros ou que nasceram com algum problema. A nossa rotina é de acordo com a necessidade do bebê, a gente não deixa o bebê sozinho nem um instante. A mãe pode ficar o dia inteiro com o seu filho, mas nós também estamos sempre junto. Nós fazemos de tudo para deixar o ambiente mais humanizado. Por exemplo, toda data comemorativa a gente enfeita a Neonatal, nós também pedimos para a mãe levar um bichinho de pelúcia, uma manta com o nome da criança. Enfim, a gente tenta fazer da UTI Neonatal uma extensão da casa dele”, afirma a enfermeira.

    A neonatologista e responsável técnica pela UTI, Luciana Trajano, destaca a importância da Unidade Hospitalar para município e também para a região. “Três Lagoas é hoje uma referência para o bolsão que compreende 11 cidades. Antes desta UTI, a criança teria que se deslocar para Campo Grande ou para São Paulo. Além da facilidade de não precisar se deslocar, a família pode estar o tempo todo presente com o seu filho”, explica Luciana.

    Para o gerente do Hospital Cassems de Três Lagoas, Efrain Gomes, as melhorias que a Caixa dos Servidores tem feito nesta Unidade Hospitalar a colocam num outro padrão de atendimento. 

    “Nós temos muito que comemorar nesse um ano de atendimento, não só na UTI Neonatal, mas na Adulta também. Esta estrutura mudou o perfil do nosso hospital, que antes era de baixa e média complexidade e agora é de alta complexidade. A nossa UTI possui uma equipe completa, com médico, enfermeira, fisioterapeuta. Além das UTIs, o hospital também recebeu uma hemodiálise e uma tomografia, então, tudo isso torna a nossa Unidade Hospitalar daqui de Três Lagoas referência para toda a região do bolsão”, pontua Gomes.

    De acordo com o diretor de Unidades Hospitalares da Cassems, Flávio Stival, descentralizar o acesso a uma medicina de qualidade e garantir um atendimento de qualidade têm feito a diferença aos beneficiários da Caixa dos Servidores.

    “Os nossos beneficiários estão espalhados por todo o Estado e nós precisamos levar saúde de qualidade para todas essas pessoas, de diferentes regiões, proporcionando assim, uma saúde de qualidade e um atendimento mais próximo, para que, dessa forma, ela não precise percorrer distâncias enormes em busca de atendimento. O nosso hospital de Três Lagoas é muito importante não só para os nossos beneficiários, mas também para toda a população da região. Ao completar um ano de atendimento, é muito gratificante para a gente perceber que a UTI cumpre o seu papel quando vemos essas crianças que tiveram dificuldades e estão aqui saudáveis”, finaliza Stival.

    Hospital Cassems de Três Lagoas

    A Cassems adquiriu metade do Hospital Unimed, em abril de 2011, com o objetivo de oferecer atendimento em saúde garantido e com qualidade aos beneficiários da Caixa dos Servidores. Em 2014, o Hospital passou a ser 100% Cassems e, dessa forma, os beneficiários de Três Lagoas e região, que já recebiam atendimento de qualidade, agora contam com a padronização do atendimento Cassems, que prima, principalmente, pele eficiência e humanização.

    Além da UTI Adulto e Neonatal, o Hospital Cassems de Três Lagoas oferece pronto atendimento em Clínica Médica, Pediatria, Ortopedia, ambulatório em Neurologia e Neurocirurgia, Angiologia e Cirurgia Vascular. O Hospital também oferece internações clínicas e cirúrgicas em Ginecologia e Obstetrícia, Cirurgia Geral, Aparelho Digestivo, Ortopedia, Angiologia e Cirurgia Vascular, Clínica Médica, Pediatria, Pneumologia, Cardiologia e Urologia, além dos serviços de Diagnósticos, Raio-x e Ultrassonografia, Tomografia e Hemodiálise.



    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS