Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 22 de novembro de 2016

    Shirley ainda lutou com 'amigo' rejeitado antes de ser morta a facadas

    Mulher foi assassinada por se recusar ter um relacionamento amoroso com o autor do crime

    Shirley (direita) foi morta dentro da residência pelo amigo (Foto: MS Todo Dia)

    Shirley Alves, de 32 anos, teria lutado com Rodrigo Lisboa, 31 anos, antes de ser morta a facadas por ele na noite de segunda-feira (21), em Costa Rica, a 305 km de Campo Grande. Segundo o que foi apurado sobre o crime, o homem, que se suicidou após matá-la, era o melhor amigo da vítima, mas não aceitou uma paixão não correspondida.

    Segundo a polícia, na residência de Shirley há indícios de que ela lutou com Rodrigo antes de ser morta. A porta da residência estava amassada na parte de dentro e, além disso, o homicídio teria acontecido na cozinha da casa, mas o homem arrastou o corpo até o quarto.

    Após matar Shirley, Rodrigo foi até a casa de um tio, pegou uma arma calibre 22 e fez dois disparos, um deles do lado esquerdo da própria cabeça. A polícia conseguiu entrar na residência e localizou o homem caído de bruços, dentro do quarto do tio, em uma poça de sangue. 

    Rodrigo chegou a ser socorrido com vida e foi levado ao hospital local com hemorragia e dificuldade para respirar. Porém, acabou morrendo na manhã desta terça, após ser transferido para a Santa Casa em Campo Grande.

    Caminhavam juntos 

    Na tarde desta terça-feira (22), moradores relataram queShirley sempre se mostrou uma pessoa alegre. De acordo com um comerciante da região central da cidade, que pediu para não ter a identidade revelada, Rodrigo e Shirley eram amigos de infância e costumavam fazer caminhadas juntos.

    "Ela era uma moça muito querida e foi um baque para todos nós. O autor aparentava ser uma pessoa bem calma e só ficamos sabendo que ele era muito apaixonado por ela", explica.

    Outra moradora da região, que também trabalhou com a vítima por um período, relata que Shirley era formada em pedagogia e havia se separado há algum tempo. "Ela não tinha filhos. Os pais e um irmão dela estão atualmente morando na cidade de Cuiabá, em Mato Grosso. Na cidade, mora apenas sua irmã e Shirley seria a mais velha dos três filhos".

    Segundo uma colega de trabalho da vítima, que também não quis ter a identidade revelada, Shirley trabalhou por um período na secretaria da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Costa Rica.

    "Ficamos tristes quando soubemos porque ela era muito meiga. Todos que a conheciam gostavam muito dela. Eles faziam caminhadas juntos e pareciam irmãos. Ele dizia que era apaixonado por ela mas isso não é amor, quem ama não faz isso".



    fonte: campograndenews
    por: Fernanda Yafusso
    Link original: http://www.campograndenews.com.br/cidades/interior/shirley-ainda-lutou-com-amigo-rejeitado-antes-de-ser-morta-a-facadas

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS