Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 15 de novembro de 2016

    Quem perdeu a super lua ontem, tem mais uma chance hoje

    Última vez que houve caso semelhante foi em 1984

    Super Lua fotografada em Campo Grande na segunda-feira (14), em Campo Grande - Foto: Luiz Carlos Jr

    O fenômeno da super lua foi na noite do dia 14 de novembro, mas em Mato Grosso do Sul o céu ficou parcialmente coberto por período que atrapalhou quem queria presenciar a imagem.

    O responsável pelo Instituto de Meteorologia da Uniderp Natálio Abrahão Filho explicou que quem perdeu ontem, pode conseguir hoje, depois das 20h, ver a super lua em Campo Grande e em outras partes do Estado.

    Ele comentou que na noite de segunda-feira, a lua estava 15% mais próxima da Terra e por isso o privilégio do fenômeno. Até quinta-feira essa distância vai aumentando.

    A super lua trata exatamente da coincidência que o astro atinge o ponto mais perto do planeta, por conta de sua trajetória elíptica.

    Especialistas indicaram que com exceção do eclipse de 2015 da super lua, o mesmo fenômeno não deve ser visto tão logo. Antes de ontem, só em 1948 houve perigeu semelhante. Essa distância significa 356.500 km da Terra. O efeito contrário é o apogeu, com 406.700 km.

    Quando a lua está mais afastada é identificado o apogeu. O oposto é perigeu. A BBC Brasil informou que nesse segundo caso, a lua fica até 50 mil quilômetros mais próxima da Terra.

    Em 14 de dezembro outra lua cheia vai ser registrada, mas não tão especial como desta vez.

    DICAS PARA FOTOGRAFAR

    1. Luz 
    O mais importante é fazer a medição correta da luz. A Lua é um corpo celeste muito brilhante, e como na maioria das vezes ela é fotografada durante a noite, é comum que o celular faça uma medição geral do quadro (onde 90% do espaço está escuro) e a Lua vire um borrão de luz branca. Para resolver isso é preciso colocar a medição do celular exatamente em cima da Lua. Se for um iPhone, basta colocar o quadradinho sobre o satélite. No Android, é um círculo. Se o seu celular oferecer a opção de posicionar o foco em um ponto infinito, habilite-a. Aplicativos com controles manuais também podem ser utilizados para atingir a medição correta. 

    2. Horário
    Para que a foto não seja apenas um fundo preto com uma bolinha branca o ideal é fotografá-la antes que o céu esteja totalmente escuro. Um bom horário é o momento do crepúsculo, por volta das 19h, quando o céu ainda está relativamente claro e a Lua já está alta e grande o suficiente para uma boa foto.

    3. Enquadramento
    As fotos ficam mais interessantes quando vão além da Lua sozinha com o céu de fundo. Tente incluir pessoas, árvores, pássaros ou outros elementos na composição da foto. Se você tiver acesso a algum local alto, como o topo de um prédio, fotografe de lá para ter a cidade na composição com a lua.

    4. Configuração
    Utilize a maior resolução disponível no aparelho. Se puder escolher também a quantidade da imagem deixe sempre a opção com menor compressão. Apesar dos arquivos ocuparem mais espaço na memória, vale a troca por imagens com mais detalhes e menos ruídos causados pela compressão. Se o seu celular possuir a opção de fazer imagens com HDR, acione-a. A tecnologia aumenta a capacidade do aparelho de capturar luzes com diferentes intensidades.

    5. Acessórios
    Por cerca de 80 reais é possível comprar um adaptador de lente teleobjetiva para o celular. Essa lente aumenta o poder do ‘zoom’ do aparelho. Como a maioria dos celulares tem uma lente bem aberta, é bastante recomendável utilizar uma dessas para fotografar a Lua.

    6. Luminosidade
    Reduza a luminosidade para ressaltar os traços da Lua e suas cores. Tanto em iPhone quanto em Android, é só deslizar a bolinha que aparece do lado do quadradinho ou da bolinha.

    7. ISO
    Se o celular selecionar opções manuais de fotografar, opte por diminuir ao máximo o ISO, que determina a sensibilidade da câmera. A Lua já fornecerá luz intensa o suficiente.

    8. Modo contínuo
    Diversos celulares permitem que se tirem várias fotos em sequência enquanto se segura o botão de disparo. Esse recurso pode ser utilizado para evitar fotos tremidas.

    9. Selfies/Retratos
    Selfies não são uma boa ideia pela baixa qualidade da câmera frontal da maioria dos telefones. Já o problema de tirar retratos de pessoas com a Lua ao fundo é a grande diferença de luz entre a pessoa e o satélite da Terra. Para que a pessoa saia bem iluminada, o celular utilizará uma configuração que provavelmente tratará a Lua como uma fonte emissora de luz muito grande. O resultado será desagradável: a Lua vai virar um borrão branco. Uma alternativa é utilizar o flash ou tirar a foto no início da noite, antes de escurecer totalmente.



    Fonte: CE

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS