Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 24 de novembro de 2016

    PORTO MURTINHO| Protesto em Câmara pede cassação de parlamentar que agrediu vereadora

    Agressor teria dado soco no peito da colega

    vereadora Maria Donizete - Reprodução/Facebook

    Ao menos 100 pessoas, entre os quais servidores públicos e professores, fizeram protesto na manhã desta quinta-feira (24) na Câmara Municipal de Porto Murtinho (cidade distante 443 de Campo Grande, já na fronteira com o Paraguai) contra o vereador Edicarlos Oliveira Lourenço, do PSDB, acusado de agredir a colega de parlamento Maria Donizete, do PT.

    Os manifestantes pediram a cassação do agressor, que faltou à sessão, mas estava na rádio em que trabalha no Paraguai. O caso está sendo avaliado pela procuradoria jurídica da Casa e o assunto será debatido na próxima sessão, na terça-feira. A agressão contra a vereadora foi assistida por outros dois vereadores, segundo disse Fábio Silva dos Santos, vereador do PT.

    Maria Donizete disse ter levado um soco no peito desferido por Edicarlos. Ela foi levada para o hospital, onde fez exame de corpo de delito, em seguida registrou Boletim de Ocorrência. A briga teria sido motivada por um comentário postado em rede social em que a filha da vereadora chama o tucano de “machista”. Ambos foram reeleitos.

    A petista disse nesta manhã ao Jornal Midiamax que passou mal à noite e teve de ir para o hospital tomar remédios. Ela é portadora de enxaqueca, doença crônica, cujo sintoma principal causa dor de cabeça. “Tudo por isso, a ida para o hospital, foi por causa disso [soco que levou no peito e caiu no chão]”.

    HISTÓRICO RUIM

    Nessa quarta-feira (24), o vereador Edicarlos, que é radialista, negou ter agredido a colega, afirmando que a tirou da frente dele e ao ser afastada acabou tropeçando e caindo no chão. 

    Numa breve consulta no portal da Justiça nota-se que o suposto agressor responde, somente em Porto Murtinho, a nove processos, entre os quais por calúnia, ameaça, lesão corporal e dano moral. Em 2007, segundo notícia publicada na imprensa local, o vereador é acusado de agredir um casal, entre os quais uma mulher.

    OUTRA AGRESSÃO

    Ano passado, em junho, a vereadora em Dourados, Virgínia Magrini, do PP, foi à polícia e denunciou o colega vereador Maurício Lemes, do PSB. Ela disse que, durante sessão, o vereador teria assediado ela, palpando-lhe as nádegas. O vereador foi punido com a suspensão de 15 dias, sem direito ao salário.



    Fonte: Midiamax
    por: Celso Bejarano e Jéssica Benitez
    Link original: http://www.midiamax.com.br/politica/protesto-camara-pede-cassacao-vereador-bateu-vereadora-323316

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS