Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 16 de novembro de 2016

    Pai mata filho porque não aceitava participação dele em movimentos sociais

    Guilherme Silva Neto, de 20 anos, foi morto pelo pai Foto: Reprodução do Facebook

    A falta de tolerância resultou em tragédia familiar na cidade de Goiânia nesta terça-feira. O estudante de Matemática da Universidade Federal de Goiás, Guilherme Silva Neto, de 20 anos, foi assassinado pelo pai, o engenheiro Alexandre José da Silva Neto, de 60 anos. Segundo a Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios, que investiga o caso, os dois teriam discutido porque o pai não queria que o jovem saísse para ir até uma ocupação e "não aceitava sua participação em movimentos sociais"

    Quando o pai saiu de casa, por volta das 17h, o jovem deixou a residência. Ao saber disso o engenheiro foi atrás do filho e atirou. Guilherme correu, mas foi perseguido pelo pai, que o atingiu mais algumas vezes, matando o rapaz, na esquina da Avenida República do Líbano. O homem, então, se deitou sobre o filho e atirou nele mesmo. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu num hospital da região.

    Nas redes sociais, o jovem se manifestava a favor das ocupações de universidades e outras causas sociais. Dezenas de estudantes publicaram mensagens de solidariedade e incredulidade. “Qual o limite da intolerância”, questionou uma jovem e outra disse “Precisamos conversar sobre a cultura do ódio e a intolerância”.

    A universidade onde o jovem estudava divulgou uma nota de pesar. “A Universidade Federal de Goiás (UFG) lamenta o falecimento do jovem Guilherme Silva Neto, estudante de Matemática da Regional Goiânia, e presta condolências e solidariedade a seus familiares e amigos”.



    Fonte: Extra

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS