Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 25 de novembro de 2016

    Ministro do STJ nega liberdade a deputado cassado Eduardo Cunha

    Félix Fischer vê risco da prática de outros crimes em caso de soltura. Ex-presidente da Câmara foi preso no mês passado e levado para Curitiba.

    Divulgação/Arquivo

    O ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou um pedido de liberdade apresentado pelo deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso em outubro na Operação Lava Jato.

    Na decisão, assinada nesta quinta-feira (14), o ministro manteve a prisão por tempo indeterminado por considerar que há risco de prática de novos crimes em caso de soltura.

    Ex-presidente da Câmara, Cunha foi preso em Brasília e levado para Curitiba no mês passado, por decisão do juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância.

    Eduardo Cunha responde a processo em que é acusado de receber propina de contrato de exploração de petróleo no Benin, na África, e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro. Ele nega as acusações.

    No STJ, o pedido de liberdade ainda poderá ser analisado pela Quinta Turma, composta por cinco ministros. A defesa também pode apresentar habeas corpus ao Supremo Tribunal Federal.


    Do G1, em Brasília
    Por: Renan Ramalho

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS