Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 14 de novembro de 2016

    LÍNGUA PORTUGUESA - Professor Fernando Marques



    Continuação do tema Discurso Jurídico

    14.4. Como saber o nome de cada jurado

    Embora o sigilo das votações seja assegurado pelo art. 5º, inciso XXXVIII, alínea “b”, da Constituição Federal, visando-se a preservação dos jurados de quaisquer influências ou de eventuais represálias, o legislador deveria determinar a formação do Conselho de Sentença também em sala secreta, ou antes da entrada das demais pessoas alheias ao Tribunal do Júri, mantendo-se resguardados os nomes dos integrantes do corpo de jurados de forma mais adequada.

    14.4.1 como saber o nome de cada jurado

    Com devido sigilo, o promotor tanto pode investigar quanto determinar investigação sobre a vida anteacta das 25 pessoas dos jurados, colhendo informações disponíveis nos registros policiais. Os jurados podem ter sido vítimas de crime ou de situações inusitadas e as respectivas experiências poderão influenciar nas suas avaliações. 

    14.4.2 outras formas de obtenção de informações

    As informações também podem ser coletadas com oficiais de justiça e com pessoas que, de alguma forma, conheçam os jurados, incluindo os nomes pelos são chamados entre os amigos e como apreciam ser titulados.

    Dentre as outras possibilidades de identificação de cada jurado, há que se levar em conta o momento do registro da presença, do sorteio e da aceitação dos nomes e ainda o evento do juramento quando, individualmente, o componente do corpo de jurados afirma: - “assim o prometo”. 

    14.5 o que ser evitado durante o discurso jurídico

    Expressões antipáticas deverão ser evitadas, porque podem criar uma forte barreira entre quem apresenta a tese o corpo de jurados. Entre as palavras e frase que podem expor os utentes como pessoa idiota, temos os seguintes exemplos:
    • A neném (forma correta: o neném. Da mesma forma: o bebê, menina ou menina);
    • A vítima, ela conheceu o réu através de um amigo. (forma correta: a vítima, conheceu o réu por intermédio de um amigo.); 
    • Antes de mais nada (forma correta: antes de tudo, antes de qualquer coisa);
    • Cercado por todos os lados (forma correta: apenas, cercado. Se algo ou alguém fica cercado, ou cercada, é, logicamente, por todos os lados);
    • Com a mais absoluta certeza de... (forma correta: Com a absoluta certeza de...); 
    • Ele manteve a mesma conduta... (forma correta: Ele manteve a conduta...);
    • Eles eram em quatro (forma correta: eles eram quatro). Não se usa a preposição “em” nessa expressão;
    • Encarar de frente (forma correta: encarar);
    • Fazem dez anos (forma correta: Faz dez anos). No sentido de tempo decorrido, o verbo “fazer” só é usado no singular;
    • Final de semana (forma correta: fim de semana, fim de tarde, fim de mês, fim de ano);
    • Muito obrigado, como agradecimento de mulher (forma correta: muito obrigada). Homens dizem “obrigado”; Mulheres dizem “obrigada”. 
    • Multidão de gente (forma correta: multidão);
    • Na minha opinião pessoal (forma correta: na minha opinião); 
    • O réu, ele matou a vítima quando a mesma... (forma correta: o réu matou a vítima quando esta...). o adjetivo “mesmo” ou “mesma” não substitui o pronome ele ou ela.
    • O réu, ele; a vítima, ela (formas corretas: o réu; a vítima);
    • Olha só! (Modismo utilizado por pessoas destituídas de bom-senso);
    • Portador de deficiência (forma correta: apenas, deficiente. Nenhuma pessoa porta deficiência. Tem ou não deficiência);
    • Repetir de novo (forma correta: repetir); 
    • Tipo assim! (Modismo utilizado por pessoas destituídas de bom-senso);
    • Tiro mortal (forma correta: tiro mortífero, tiro fatal);
    • Veja bem! (Modismo utilizado por pessoas destituídas de bom-senso);
    • Vítima fatal (forma correta: apenas, vítima. Fatal é o aquilo que mata; que causa a morte).
    14.6 a distância ideal entre quem fala e os ouvintes

    Evitando digressões que não se vinculem aos objetivos do discurso, a representante ou o representante do Ministério Público poderá permanecer ao lado do juiz, à frente dos jurados, enquanto profere o discurso, ou mudar de lugar, quando for conveniente, considerando que a mudança de local deverá ocorrer de acordo com as etapas e o planejamento discurso, vinculando-se à necessidade de sagrar mais atenção do júri. 

    Dentre as quatro zonas distintas de relacionamento espacial, a chamada zona social deverá ser a primeira a ser observada. Esta estabelece uma distância entre 1,2 a 3 metros, durante a parte inicial da acusação, a fim de que não haja a rejeição pela psicológica “invasão do espaço”.

    Na próxima semana:
    • Continuação sobre o tema uma distância;
    • as três habilidades essenciais do Promotor do Júri para convencer os jurados; e
    • exposição da prova e dos argumentos da acusação.

    .


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS