Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 29 de novembro de 2016

    Laudo não identifica causa da morte de ex-vereador encontrado carbonizado

    Morte de Alceu Bueno continua sendo investigada

    ex-vereador Alceu Bueno - Divulgação/Arquivo

    Nenhum sinal de tiro ou estrangulamento, nada que pudesse indicar como o ex-vereador Alceu Bueno foi assassinado. Esse foi o resultado dos exames periciais pelos quais o corpo do político passou. São mais de dois meses desde o dia em que o ex-vereador foi encontrado carbonizado em um bairro na saída para Cuiabá e o caso segue em investigação.

    Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, o laudo necroscópico de Alceu Bueno não identificou nenhuma lesão causada por tiro e nem se ele se fato foi estrangulado, como suspeita a polícia quando o corpo foi encontrado.

    No dia 21 de setembro, o ex-vereador foi encontrado carbonizado e segundo a polícia, com sinais de estrangulamento. Agora, já com o laudo em mãos, a polícia continua sem saber como Bueno foi morto antes de ser abandonado pelos bandidos, em uma rua do Jardim Veraneio na noite do dia 20 de setembro. Na certidão de óbito consta apenas que Alceu Bueno morreu carbonizado. 

    Ainda conforme a polícia, as investigações sobre o caso continuam mesmo 68 dias depois. De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Civil, novas informações sobre o caso surgiram e agora a polícia apura os detalhes, que por oras são tratados como boatos.

    Na última entrevista a equipe do Midiamax, o delegado alegou que o caso era complexo e precisava de mais tempo para ser investigado. Até a data, um mês após o crime, mais de 20 pessoas tinham sido ouvidas pelo delegado Edilson dos Santos Silva, chefe do Garras (Grupo Armado de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros).

    O Crime

    Bueno foi encontrado carbonizado na manhã do dia 21 de setembro. Antes mesmo de a perícia confirmar que o corpo era do ex-político, os policiais acharam um celular idêntico ao dele ao lado dos restos mortais e também identificaram pinos de metais no braço do cadáver, iguais aos que o político tinha, como resquício de um acidente de motocicleta. A confirmação só veio no fim da tarde, através das digitais.

    Vídeos divulgados pela polícia mostraram dois homens desovando o corpo de Bueno em uma rua do Jardim Veraneio na noite do dia 20 de setembro. Pelas imagens é possível ver os suspeitos conduzindo o veículo do ex-político, uma Land Rover Freelander, retirando a vítima do porta-malas, aparentemente já morta e por fim, ateando fogo.

    No dia 23 de setembro, três dias depois do crime, o carro de Alceu foi encontrado incendiado em Ponta Porã, a 313 quilômetros de Campo Grande.

    Condenação

    O ex-vereador Alceu Bueno foi condenado em dezembro do ano passado a oito anos e dois meses de prisão em regime fechado por exploração sexual infantil. Por recorrer, ele permanecia em liberdade.

    Bueno foi filmado por garotas em quarto de motel. Desde então, ele foi chantageado e pagado R$ 100 mil para que as imagens vazassem. O ex-vereador procurou a polícia, denunciou a extorsão e o esquema foi investigado. Antes da condenação, Bueno renunciou ao cargo. O ex-deputado estadual Sérgio Assis, também foi sentenciado pelo mesmo crime e pegou pena de seis anos em regime semiaberto.

    Já quanto a denúncia de improbidade administrativa, Alceu Bueno foi denunciado por participar de uma esquema supostamente criado para derrubar o prefeito Alcides Bernal. A trama, segundo a acusação, assim funcionava: vereadores receberam dinheiro ou favores, como cargos no serviço público para votar pela cassação do prefeito, que ocorreu por meio de uma CPI.



    Fonte: Midiamax
    Por: Geisy Garnes e Arlindo Florentino
    Link original: http://www.midiamax.com.br/policia/laudo-nao-identifica-causa-morte-ex-vereador-carbonizado-investigacoes-continuam-323809

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS