Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 18 de novembro de 2016

    Jornalistas são homenageados no Prêmio MS Industrial de Jornalismo 2016

    Reprodução

    Em reconhecimento aos grandes nomes da imprensa de Mato Grosso do Sul, o Prêmio MS Industrial de Jornalismo 2016 vai homenagear, durante a cerimônia de entrega na noite desta sexta-feira (18), os jornalistas Arlindo Florentino e Silvio Andrade e o fotógrafo Roberto Higa. Além disso, também receberão reconhecimento os profissionais da área que faleceram neste ano: Michel Lorãn, Marcos Silvestre e César Cordeiro.

    Segundo o diretor de comunicação do Sistema Fiems, Robson Moreira, os nomes escolhidos notabilizaram-se pela trajetória profissional no jornalismo e serviços prestados ao Estado. Ícone do fotojornalismo sul-mato-grossense, Roberto Higa detém um dos mais completos acervos que retratam em imagens a história do Estado e, aos 64 anos, já prestou serviços para alguns dos principais jornais do País, como O Estado de São Paulo e Correio Braziliense.

    Em Campo Grande, passou pelos jornais Arquibancada, O Jornal, Presença, Jornal da Cidade, Jornal da Manhã, Diário da Serra e Correio do Estado. Atualmente, trabalha na Assembleia Legislativa e já participou de 36 exposições fotográficas, ilustrou nove livros e é autor de “Olhar”. Arlindo Florentino começou a trabalhar em 1977 como repórter esportivo na Rádio Educação Rural. Passou posteriormente pelas rádios Cultura e Difusora e, de 1980 a 1984, trabalhou como repórter no extinto Jornal Diário da Serra.

    Em 1984 entrou no Jornal Correio do Estado onde ficou até 2013 como repórter e, posteriormente, editor de Esportes. Ao mesmo tempo em que estava no Correio do Estado, trabalhou na TV Campo Grande por 14 anos, além de uma passagem de quatro anos pela Rádio CBN. Atualmente trabalha no Jornal Midiamax. Já o jornalista Silvio Andrade, 63 anos, fez o registro profissional em 1985, DRT nº 03, mas iniciou a carreira em 1970 no jornal Diário da Serra, onde foi editor de Esportes e diagramador.

    Ele também foi correspondente do Jornal do Brasil, O Globo, O Estado de S. Paulo e Revista Placar, redator da Radiobrás, Correio do Estado, repórter especial da Folha do Povo e de O Estado de MS. Além disso, trabalhou na maioria dos governos estaduais, estando atualmente na Subsecom, enquanto na Prefeitura de Corumbá atuou na assessoria de imprensa, assim como no Moinho Cultural Sul-Americano, Instituto Homem Pantaneiro.


    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS