Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 17 de novembro de 2016

    FÁTIMA DO SUL| Cassação de prefeita eleita sacode bastidores políticos e judiciais

    Declarações de Londres e Grazielle antecipando resultado favorável a Ilda Machado e contratação de escritório de juíza temperam cenário de suspeições

    Reprodução/Vídeo

    Com o registro de sua candidatura cassado pela 4ª Zona Eleitoral por solicitação do Ministério Publico Estadual, que a denunciou por compra de votos, a prefeita eleita de Fátima do Sul, Ilda Salgado Machado (PR), está confiante na vitória dos argumentos que alinhou em sua defesa. Essa confiança é reforçada com manifestações do marido, o ex-deputado estadual Londres Machado, e da filha, a deputada estadual Grazielle machado, todos do PR. 

    Ocorre que algumas dessas manifestações estão sendo consideradas suspeitas por seus adversários, para quem algumas declarações de Londres e Grazielle revelam certeza antecipada de um resultado favorável na sentença e sugerem falta de isenção dos responsáveis por esse julgamento, no caso os desembargadores integrantes da Justiça Eleitoral. 

    Para corroborar essas impressões, as advogadas do prefeito Júnior Vasconcelos (PSDB), candidato da coligação derrotada que tentava a reeleição, reuniram documentos contendo vídeo e áudios de Grazielle e Londres. Além disso, uma das providências da família Machado para se defender da denúncia do MPE e pedir reforma da decisão inicial foi contratar o escritório de uma desembargadora do pleno do TRE-MS, Telma Marcon. 

    No vídeo, de acordo com a coligação adversária, Grazielle estaria comentando a sua expectativa sobre o que vai acontecer no julgamento com a seguinte frase: "Já deu tudo certo". E Londres, em entrevista a um site de notícias da Internet que apoiou Ilda, enfatizou estar certo de reverter a cassação, acrescentando ainda que quando a esposa assumir pretende utilizar uma sala na Prefeitura para prestar assessoria e garimpar informações úteis, entre elas eventuais falhas dos antecessores.

    Somadas à contratação do escritório de advocacia de uma juíza do TRE-MS, ao vídeo de Grazielle e à entrevista de Londres, várias postagens em mídias sociais por parte de eleitores e membros ativos da campanha da candidata cassada foram anexadas pelas advogadas da coligação de Júnior Vasconcelos. São postagens que além de defender Ilda ainda antecipam possíveis placares de sua absolvição. 

    Conforme as advogadas do prefeito Júnior Vasconcelos, os fatos demonstrados pelo MPE e acolhidos pela Justiça Eleitoral de primeira instância indicam ser irreversível a cassação de Ilda Machado, por estar fundamentada em vários elementos documentais, vídeos, perícias e testemunhas. Disseram não acreditar que alguém, mesmo influente, tenha a audácia de tentar comprar a complacência dos juízes que analisarão a defesa da candidata. 

    Ao supor que a deputada e seu pai provavelmente tenham sido infelizes na forma como se expressaram, as advogadas sustentam que os componentes da Corte Eleitoral foram investidos na função em decorrência de seu alto saber jurídico e de sua irrepreensível conduta profissional. Sobre o escritório da juíza que atua na defesa da candidata, as advogadas esperam que Telma Marcon se declare impedida para julgar e seja substituída. "Caso isso não ocorra, o que duvidamos, existem procedimentos específicos colocados à nossa disposição para corrigir essa falha", afirmam.


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS