Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 24 de novembro de 2016

    Estudantes de MS são premiados por obras que relacionam o campo e a cidade

    Divulgação

    Alunos do 1º, 2º e 5º ano de escola públicas do município de Rochedo foram premiados pelo Projeto Agrinho, realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS) e pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Sistema Famasul). A cerimônia que aconteceu nesta quinta-feira (24) teve com objetivo reconhecer os melhores trabalhos do Estado, em várias categorias, entre elas redação e desenho, que relacionassem o campo e a cidade, fortalecendo os projetos de cunho social e cultural de entidades ligadas ao agronegócio.

    Lucas Larreia Xavier, da Escola Estadual José Alves Ribeiro, do 1º ano, ficou com o 2º lugar na categoria desenho. João Miguel de Souza Portela Silva, do 2º ano, ficou com 3º lugar. E na categoria redação, a Escola Municipal Doce Saber, representada por Thays Miranda Pesquim, ficou com o 2º lugar. Os prêmios variaram entre bicicletas, tablets, video-games. Os professores também foram premiados com Smart TVs, em reconhecimento ao ao trabalho desenvolvido em sala de aula.

    Ligado ao Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo se destaca desde a primeira edição do Projeto Agrinho. Segundo o presidente do Sindicato, Ruy Fachini Filho, o programa possibilita que o agronegócio cumpra com seu papel social. “Apesar de movimentarmos e estarmos à frente na economia, temos reponsabilidades sociais e culturais, e o Agrinho, considero o principal projeto hoje desenvolvido pela agro, que representa isso. É a nossa contribuição para o desenvolvimento da educação, com estímulos aos estudantes e professores”, define Fachini.

    Nesta premiação foram 1500 trabalhos inscritos, originados em mais de 300 escolas. Dos 48 municípios participantes na edição de 2016, 18 foram classificados para a premiação e diferentes categorias do ensino fundamental. Segundo o Senar/MS, este ano, 120 mil alunos participaram, 60 mil a mais que no ano de 2015.

    Com a redação “A cidade e o campo”, que retrata o desenvolvimento tecnológico e sustentável do campo, e sua conexão com a cidade, a aluna Thays foi premiada pela primeira vez, e com isso sua regente, Maria da Penha de Jesus, conseguiu seu segundo prêmio. “Neste ano, oito salas de aula inscreveram desenhos e redações, e apenas a Thays foi premiada. Isso significa muito para nossa escola e para Rochedo”, comemora Maria.

    O Agrinho que iniciou há 20 anos no estado do Paraná, pretende atingir 180 mil alunos em Mato Grosso do Sul no ano que vem.



    Fonte: ASSECOM
    Por: Diego Silva


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS