Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    domingo, 27 de novembro de 2016

    Em Pernambuco o número de assassinatos de mulheres sobe para 13,9%

    Foram 30 casos a mais em comparação com 2015. De janeiro a outubro deste ano, foram 38.968 casos contra 40.318 registrados em 2015, sendo estes casos não letais.

    Violência contra mulheres em Pernambuco – Foto: Reprodução/ João Santos

    No Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher, a Secretaria da Mulher de Pernambuco (Secmulher-PE) divulgou que, de janeiro ao dia 23 de novembro deste ano, foram registrados ao menos 246 casos de assassinatos de mulheres em Pernambuco. O número, contabilizado a partir dos dados da Secretaria de Defesa Social (SDS), representa um aumento de 13,9%, se comparado ao mesmo período de 2015. No ano passado, no mesmo período, foram registrados ao menos 216 homicídios.

    Apesar do aumento do número de homicídios desse tipo no estado, os casos de violência contra a mulher, não necessariamente letais, chegaram a diminuir 3%, de janeiro a outubro deste ano, com 38.968 casos contra os 40.318 registrados em 2015. O estado foi o único da região Nordeste que conseguiu a diminuição, ainda que leve, no quadro geral de violência contra a mulher, apesar do aumento na violência no estado.
    Violência contra mulheres – Denuncie – Foto: Reprodução

    Bianca Rocha, da diretoria Geral de Enfrentamento da Violência de Gênero da Secretaria da Mulher de Pernambuco (Secmulher-PE), explica que, houve um aumento no sentimento de insegurança em todo o Brasil, e, por isso, o órgão decidiu reeditar a campanha Basta de Violência contra a Mulher. A mobilização começa nesta sexta-feira (25 de novembro 2016), Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher, e segue até o dia 10 de dezembro, quando é celebrado o Dia Internacional dos Direitos Humanos.

    Campanha

    A mobilização consiste na divulgação de informações sobre violência contra mulher e, especialmente, na divulgação dos equipamentos de proteção disponibilizados às vítimas desse tipo de crime, como o 190 Mulher, que por meio de cadastro prévio dá prioridade a quem sofre violência nas ocorrências da Polícia Militar (PM). O período faz parte de uma série de ações realizadas no mundo inteiro, conhecido como 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

    Na campanha, foram escolhidas mulheres que, de fato, passaram pelo ciclo da violência e foram pelo estado. De acordo com Bianca, a baixa não deve ser comemorada, porque diariamente mulheres sofrem violência, mas, nos 10 anos da Lei Maria da Penha, várias ações têm sido criadas para dar assistência. “Temos quatro casas de abrigo para mulheres ameaçadas e 37 centros de referência no atendimento à mulher em situação de risco, além de outros 180 organismos de políticas para mulheres”, disse.

    Violência contra mulheres – Denuncie – Foto: Reprodução

    Fechando a programação dos 16 dias de ativismo, será realizado o Cine SecMulher-PE, nos dias 6, 7 e 8 de dezembro. A ação será promovida com reeducandas das colônias penais do Recife, de Abreu e Lima, na Região Metropolitana e de Buíque, no Agreste.

    Estrutura

    Atualmente, em todo o estado, há dez Delegacias da Mulher, além de dez Varas de Violência Doméstica e Familiar contra Mulher no Tribunal de Justiça de Pernambuco. “O objetivo é descentralizar as políticas voltadas ao segmento, abrangendo, também, o interior. Temos, também, o monitoramento da distância dos agressores das vítimas, via GPS. Cerca de 400 mulheres utilizam essa tecnologia no estado”, explicou Bianca.

    No monitoramento por geolocalização, os agressores têm que utilizar tornozeleiras eletrônicas que, ao aproximar-se das vítimas, dispositivos GPS emitem sinais para que a vítima procure ajuda e que a polícia contate o agressor e o adverta a se distanciar. Caso ele não obedeça, viaturas da PM se deslocam ao local para confrontá-lo.

    Violência contra mulheres – Denuncie – Foto: Reprodução


    Fonte: S1Notícias


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS