Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 23 de novembro de 2016

    Diversificação é ponto positivo do Agroecol, dizem pesquisadores

    Foto: Aurélio Borsato

    Feirinha de produtos agroecológicos e artesanato foi bastante visitada durante o evento 
    Pesquisadores da Embrapa Pantanal que estiveram no Agroecol 2016 em Dourados (MS), na semana passada, voltaram empolgados. Eles disseram que o evento foi uma oportunidade para fazer contatos e articular futuros projetos de pesquisa em suas áreas de atuação. O Agroecol reuniu cinco eventos voltados para a agroecologia entre os dias 16 e 19 de novembro: o 2º Seminário de Agroecologia da América do Sul; a 1ª Jornada Internacional de Educação do Campo; o 6º Seminário de Agroecologia de Mato Grosso do Sul; o 5º Encontro de Produtores Agroecológicos de Mato Grosso do Sul e o 2º Seminário de Sistemas Agroflorestais em Bases Agroecológicas de Mato Grosso do Sul. 

    Realizado na UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), o Agroecol 2016 foi elogiado também pela diversificação de temas e de públicos. Agricultores, estudantes, pesquisadores e até turistas participaram das discussões. O pesquisador Alberto Feiden, da Embrapa Pantanal, fez uma palestra, moderou uma mesa redonda e apresentou diversos trabalhos em formato de pôster. 

    Essa forma de apresentação, por sinal, foi bastante elogiada pelo pesquisador Aurélio Vinicius Borsato, da equipe de agricultura familiar da Embrapa de Corumbá. "Foi muito bem organizada e permitiu grande troca de experiências", disse ele. Aurélio, que fez parte da comissão científica e coordenou as avaliações do grupo de trabalho de Recursos Naturais Renováveis, disse que os estudos submetidos tinham boa qualidade e tratavam de temas relevantes e atuais. 

    "Este grupo recebeu quase cem trabalhos de várias regiões do país e até de fora. Tinha participantes do Paraguai e da Costa Rica", afirmou. Aurélio elogiou ainda a escolha dos profissionais que fizeram palestras, item também observado pela pesquisadora Raquel Soares Juliano, da Embrapa Pantanal. "O evento foi um sucesso. As palestras tiveram bom nível. Assisti a de homeopatia e de leite orgânico. A feirinha de artesanato, alimentos e orquídeas estava bem animada", comentou. Aurélio e Raquel também apresentaram trabalhos no evento.

    O pesquisador Fábio Galvani destacou que seu pôster mostrando os resultados de pesquisa sobre a secagem e processamento da bocaiuva foi bem visitado, virando um dos pontos de atração daquele setor. "A procura por informações realmente foi grande", avaliou. Ele também elogiou as palestras e gostou da oportunidade de fazer contatos. O trabalho de Fabio foi destacado pela imprensa local no dia da abertura do Agroecol. 

    O chefe geral da Embrapa Pantanal, Jorge Lara, esteve na abertura do evento e também se mostrou entusiasmado. "O Agroecol é uma grande oportunidade para o Pantanal, tanto por permitir que nossas tecnologias e produtos sejam conhecidos em outras regiões, como podemos a aprender e usar conhecimento para a sustentabilidade do Pantanal. A Embrapa Pantanal estará cada vez mais presente neste importante evento", afirmou.



    Fonte: ASSECOM
    Por: Ana Maio


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS