Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 7 de novembro de 2016

    CCR MSVia informa| Trecho em obras com pare-e-siga e melhorias com desvio de tráfego

    Reprodução

    Nesta segunda-feira (07/11), a CCR MSVia informa os trechos da BR-163/MS que operam em sistema de pare-e-siga e trechos onde há desvio de tráfego, em razão da realização de obras e serviços de melhoria. 

    Nos trechos de pare-e-siga, haverá interdição no tráfego em uma das faixas enquanto o mesmo flui pela outra, de maneira alternada, nos sentidos Norte e Sul da via. Nas áreas de desvio, são estabelecidas variantes para que o tráfego flua ininterruptamente, apesar da velocidade reduzida.

    Segundo o Serviço de Atendimento ao Usuário – SAU, o volume de intervenções na rodovia tende a aumentar e estão sendo buscadas alternativas para garantir a fluidez de tráfego.

    Pontos com desvio de tráfego:
    • São Gabriel do Oeste – entre os kms 636 e 634 e entre os kms 631 e 629 e no km 625;
    • Bandeirantes/Camapuã – no km 591;
    • Campo Grande – no km 495 e entre os kms 493 e 492;
    • Rio Brilhante – entre os kms 323 e 322;
    Pontos com pare-e-siga:
    • Pedro Gomes/Coxim – entre os kms 773 e 772;
    • Rio Verde de Mato Grosso – entre os kms 720 e 719;
    • Bandeirantes/Rochedo - entre os kms 540 e 537;
    • Sidrolândia/Nova Alvorada do Sul – entre os kms 414 e 413;
    • Caarapó – entre os kms 239 e 237;
    • Itaquiraí - entre os kms 99 e 98;
    • Eldorado – entre os kms 63 e 60 e entre os kms 45 e 43;
    • Mundo Novo – entre os kms 11 e 10.
    Em caso de chuva, as obras poderão ser interrompidas. Todos os locais estão sinalizados.

    A CCR MSVia alerta que o cronograma de obras e serviços é dinâmico, ou seja, outros pontos de intervenção com pare-e-siga ou desvio de tráfego podem ocorrer ao longo do dia. Acompanhe a evolução da situação de tráfego da BR-163/MS por meio do site www.msvia.com.br em tempo real, ou ligue para o Disque CCR MSVia pelo 0800 648 0163 (ligações gratuitas, inclusive para celulares).



    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS