Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 9 de novembro de 2016

    Bovespa fecha em queda de 1,4% após a eleição de Trump nos EUA

    Bolsas internacionais abriram em baixa, mas viraram ao longo do pregão. Dólar subiu 1,32% e atingiu R$ 3,20; mercado apostava em Hillary

    Mercados abrem em forte queda, mas investidores se acalmam ao longo do dia (Foto: Saul Loeb/AFP)

    A Bolsa brasileira fechou em queda de 1,4% nesta quarta-feira (9), refletindo o resultado das eleições americanas. O candidato republicano Donald Trump venceu a democrata Hillary Clinton, contrariando as expectativas do mercado.

    Bovespa abriu os negócios em queda e chegou a perder 3,68% do seu valor, mas reduziu as perdas ao longo do dia, assim como ocorreu com os mercados externos.

    O dólar fechou em alta de 1,32% nesta quarta-feira (9), a R$ 3,2095.
    Fechamento das bolsas no Brasil e no mundo no dia em que Trump venceu nos EUA (Foto: G1)

    Mundo

    A vitória de Trump derrubou os mercados na Ásia, com a bolsa de valores do Japão perdendo mais de 5%. Na Europa, os mercados abriram em forte queda, mas muitas bolsas de valores viraram após o discurso do republicano, considerado conciliador, e fecharam em alta. Nos Estados Unidos, as bolsas oscilaram, mas subiam às 18h15 desta quarta-feira.

    "Os Estados Unidos estão experimentando sua própria versão do Brexit", disse o estrategista-chefe de mercado da FXTM, Hussein Sayed.

    Veja abaixo a reação dos mercados nesta quarta:

    Nos Estados Unidos

    Os mercados norte-americanos operavam com volatilidade nesta quarta-feira. À tarde, os principais índices tinham leve alta, recuperando parte das perdas vistas anteriormente. O Dow Jones subia 1,49% às 18h12, o SP&500 subia 1,19%.

    A visão dos economistas é que a probabilidade de o Federal Reserve, o banco central dos EUA, manter o juro baixo é maior com Trump. A política de Trump é focada no crescimento econômico dos EUA e valorização da iniciativa privada. "Se você avaliar o plano de Trump, verá que ele é favorável ao crescimento econômico e à inflação", disse o estrategista do banco UBS Wealth Management em Nova York, David Lefkowitz à agência Reuters.

    Segundo a Reuters, alguns setores que parecem se beneficiar com a presidência de Trump e sobem na bolsa. Os setores que apresentavam ganho nesta tarde eram o financeiro e o de saúde. Na campanha de Hillary, um dos principais temas era um limite para os preço de medicamentos.

    Na Europa

    As principais bolsas europeias começaram o dia operando em forte queda. No entanto, o mercado virou com os operadores dizendo que o discurso da vitória de Trump foi equilibrado e conciliatório, aumentando expectativas de que alguns pontos mais inflamados da retórica de sua campanha podem ter ficado para trás. O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou em alta de 1,60%.

    O índice geral da Bolsa de Valores de Londres, o FTSE-100, por exemplo, abriu baixa de 2,12%, mas fechou em alta de 1%.

    Na Itália, o índice seletivo da Bolsa de Valores de Milão, o FTSE MIB, abriu em forte baixa de 3%, mas fechou leve queda, de 0,1%.

    Na Alemanha, o principal índice da Bolsa de Valores de Frankfurt, o DAX, abriu em queda de mais de 4%. O índice fechou em alta de 1,56%.

    Em Paris, o CAC-40, caía mais de 2,86% após a abertura. O pregão encerrou em ala 1,49%.

    Na Ásia

    Funcionário de uma empresa de operações de câmbio trabalha diante de uma TV que mostra Donald Trump, nesta quarta-feira (9), em Tóquio (Foto: Toru Hanai/Reuters)

    O índice japonês Nikkei encerrou o pregão com queda de 5,36%, aos 16.251,54 pontos. A baixa é a pior desde os 7,92% de queda registrados em 24 de junho, após o referendo que decidiu que o Reino Unido deixará a União Europeia. O segundo indicador, o Topix, perdeu 4,57%, e se situou em 1.301,16 pontos. O mercado japonês fechou antes da divulgação do resultado final nos EUA, mas o mercado reagiu às pesquisas de bocas de urna que já indicavam a vitória do republicano.

    As bolsas da China também fecharam em baixa. As ações fecharam antes da confirmação da vitória do republicano, mas ainda assim o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, caiu 0,52% e o índice de Xangai teve queda de 0,61%, para 3.128 pontos. Em Hong Kong, o índice HANG SENG caiu 2,16%, a 22.415 pontos

    As quedas nas ações da China - tipicamente protegidas da volatilidade do mercado global por fortes controles de capital - foram mais fracas, em meio a dados mostrando recuperação nos preços ao produtor do país, informou a agência Reuters.

    O restante da região também teve perdas. Em Seul, o índice KOSPI teve desvalorização de 2,25%, a 1.958 pontos. Em Taiwan, o índice TAIEX registrou baixa de 2,98%, a 8.943 pontos. Em Cingapura, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 1,08%, a 2.789 pontos. Em Sydney o índice S&P/ASX 200 recuou 1,93%, a 5.156 pontos.



    Do G1, em São Paulo

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS