Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 8 de novembro de 2016

    Bancada federal se junta a Marquinhos Trad para "salvar" Campo Grande e recuperar projetos

    Senador Moka, prefeito Marquinhos Trad e deputados discutem investimentos para a capital - Foto: Luís Carlos Campos Sales / ASC Moka

    A bancada federal de Mato Grosso do Sul e o prefeito eleito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), firmaram compromisso nesta terça-feira (8) para retomar as atividades normais da cidade a partir de 2017. A reunião do chamado "Pacto por Campo Grande" foi realizada em Brasília, no gabinete do senador Waldemir Moka (PMDB), coordenador da bancada estadual no Congresso.

    Os parlamentares firmaram compromisso de destinar recursos de emendas e apoiar projetos para Campo Grande, com a retomada de obras de infraestrutura paralisadas por falta de iniciativa das gestões anteriores. “Fiquei assustado com o grande número de obras paradas”, afirmou o prefeito eleito. 

    Trad entregou a Moka relação de obras vinculadas à Caixa Econômica Federal, iniciadas e paralisadas há mais de três anos. O coordenador fez imediatamente contato com o superintendente da Caixa no Estado, Evandro Narciso de Lima, do qual recebeu orientação para encaminhar ofício ao Governo federal solicitando prazo maior para a apresentação de projetos complementares.

    Entre as obras sem continuidade e que o prefeito eleito deseja dar prioridade assim que assumir o cargo em janeiro, está a de drenagem e recuperação do Complexo Anhanduizinho, no prolongamento da Avenida Ernesto Geisel. Levantamento preliminar mostra que seriam necessários R$ 48 milhões para concluir a obra.

    Trad teme que o período de chuvas, que começa em dezembro e se estende até abril, possa agravar o problema na região, com alagamentos e assoreamento da área. “Se as chuvas forem intensas, há risco de as águas invadirem o shopping ali existente, bem como centenas de residências e outras lojas comerciais”, observou.

    Situação preocupa

    O prefeito eleito explicou aos parlamentares que recebeu “com preocupação” as primeiras informações e números sobre a situação administrativa e financeira do município. “Faz mais de três anos e meio que a cidade não executa uma obra sequer. As últimas casas populares entregues foi há quase dois anos, as da segunda etapa do Residencial Nelson Trad”, afirmou.

    O deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM) disse que é preciso fazer um pacto suprapartidário por Campo Grande. “Do jeito que está fica difícil tocar a cidade sem apoio de todos, independentemente de partido. A saúde está arrebentada e a educação caiu muito de qualidade. Passou de primeiro lugar no Ideb para o último”, declarou o deputado.

    Como coordenador da bancada, o senador Moka sugeriu ao prefeito eleito realizar levantamento sobre obras e projetos paralisados e encaminhar relatório a senadores e deputados. “Pelo jeito, há muita coisa parada e só um levantamento mais profundo pode nos mostrar o que precisamos fazer para recuperar grande parte dos projetos do município”, explicou o senador.

    Além do senador Moka, do prefeito Marquinhos Trad e do deputado Mandetta, a reunião teve a presença dos deputados federais Carlos Marun (PMDB) e Geraldo Resende (PSDB) e o deputado estadual Lídio Lopes (PEN). Os demais parlamentares mandaram representantes porque tinham compromissos nos plenários e comissões do Senado e da Câmara.



    Fonte: ASSECOM


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS