Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 30 de novembro de 2016

    Arena Condá tem tributo e cerimônia pelas vítimas de voo da Chapecoense

    'Tributo verde e branco' ocorre na Arena Condá, em Chapecó. Na noite desta quarta (30) ocorreria primeiro jogo da final na Colômbia.

    Torcedores da Chapecoense lotam a Arena Condá, em Chapecó (SC), em homenagem às vítimas da queda do avião que levava os jogadores do time para disputar a final da Copa sul-americana na Colômbia (Foto: André Penner/AP)

    Um tributo à Chapecoense e às vítimas da tragédia com o voo da delegação, na madrugada de terça-feira (29), tomou a Arena Condá, estádio da Chapecoense, na noite desta quarta-feira (30. Milhares de pessoas foram à casa do clube prestar homenagens na noite em que ocorreria o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana, que o time disputaria na Colômbia. Naquele país, simultaneamente, outra homenagem acontecia.

    No fim da cerimônia na Arena Condá, foram mostradas em um telão as fotos de todas as vítimas (veja o vídeo acima).


    O avião caiu na madrugada de terça-feira (29) em Medellín, na Colômbia. Foram 71 mortos e seis sobreviventes. Ainda não há data para o velório coletivo, que será organizado pela Chapecoense no estádio do clube, a Arena Condá, em Chapecó, Oeste catarinense.

    Torcedores acompanhavam a cerimônia das arquibancas. Por volta das 20h, eles batiam palmas antes do tributo começar. Perto das 20h30, o mascote do time, o indiozinho, passeava pelo gramado chamando os torcedores para cantar e atraiu a atenção dos fotógrafos.

    Perto das 20h35, os portões da Arena Condá foram fechados e mais ninguém pôde entrar. Perto das 20h45, os torcedores acenderam os celulares e iluminaram o estádio. Cinco minutos depois, crianças da base do clube entraram no gramado e foram muito aplaudidas.

    Também houve um culto ecumênico come dois pastores e o padre Igor Damo, da Catedral Santo Antônio, torcedor da Chapecoense. Por volta das 21h30, o estádio ficou tomado por luzes de celulares em homenagem às vítimas. No momento em que começaria o jogo, crianças das categorias de base do time deram uma volta no campo.

    A celebração estava prevista para terminar às 21h45. Contudo, naquele horário a Arena Condá seguia lotada, com a exibição de um vídeo no telão com homenagens a todas as vítimas, jogadores, comissão técnica e jornalistas, uma a uma, seguida por gritos de "é campeão" (veja vídeo acima).

    Algumas pessoas começaram a deixar a Arena Condá perto das 22h. O estádio permaneceria aberto ao longo da noite.

    Velório

    Em entrevista coletiva na tarde desta quarta, a diretoria da Chapecoense detalhou como deverá ser o velório coletivo das vítimas.

    Segundo o clube, foram pedidas autorizações para o velório na Arena Condá a todos os familiares de brasileiros, mas não necessariamente todos serão velados no local. "Respeitaremos a posição de cada família", disse Luis Antonio Palaoro, vice-presidente jurídico do clube.

    Ainda não há confirmação de que todas as vítimas brasileiras serão transportadas para Chapecó, segundo a diretoria. Também não há confirmação de quando o velório vai acontecer. A expectativa do governo do estado, que acompanha os trabalhos de identificação das vítimas na Colômbia, é de que a chegada dos corpos no Brasil ocorra na sexta-feira (2) ou no sábado (3).
    Torcedores da Chapecoense lotam a Arena Condá, em Chapecó (SC), em homenagem às vítimas da queda do avião que levava os jogadores do time para disputar a final da Copa sul-americana na Colômbia (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)
    Símbolo da torcida, o indiozinho passeia pelo gramado e chama os torcedores para cantarem alto (Foto: Diego Madruga/GloboEsporte.com)




    Do G1 SC

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS