Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 19 de outubro de 2016

    Sanesul foi selecionada para continuar participando de projeto de aproveitamento energético do Biogás no Brasil

    Seleção se deve ao comprometimento da Sanesul com o projeto e do sucesso operacional da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Guaxinim

    Local onde é realizada a queima do biogás

    Desde junho de 2015, a Sanesul é uma das dez empresas brasileiras de saneamento participantes do projeto de “Avaliação do potencial de aproveitamento energético do biogás gerado em reatores anaeróbios aplicados ao tratamento de esgoto doméstico no Brasil”, cuja fase de estudos finalizou em junho de 2016. Após a primeira etapa, Sanesul foi uma das quatro empresas brasileiras de saneamento convidadas pelo Ministério das Cidades a continuar participando do projeto, em função do comprometimento com o projeto e do sucesso operacional da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Guaxinim.

    “Tivemos ganho em qualidade com a instalação dos equipamentos para realizar as medições, e também atendemos as exigências ambientais na queima de gases, tendo em vista que o biogás é um subproduto no tratamento anaeróbio de esgotos. É importante estar inserido neste tipo de estudo pioneiro no Brasil e ainda sermos convidados a continuar participando porque temos um bom processo operacional”, comemorou o gerente de Sistemas de Esgotamento Sanitário, Mario Augusto Leites.

    A Sanesul foi selecionada como parceira destes estudos, realizados pelo Probiogás (Projeto Brasil-Alemanha de Fomento ao Aproveitamento Energético do Biogás no Brasil) por ter experiência no tratamento de esgotos que empregam sistemas anaeróbios de tratamento, cuja principal característica é a elevada eficiência na remoção de matéria orgânica, com conversão de parte dessa matéria em biogás.

    Os resultados medidos pelas dez empresas de saneamento participantes estão em análise e estarão no relatório final a ser divulgado pela Universidade Federal de Minas Gerais em dezembro.

    Comparada às demais ETEs participantes do projeto, a ETE Guaxinim é a menor em termos de vazão (trata cerca de 120 litros de esgotos por segundo), e no entanto, produz biogás com concentração maior de metano (cerca de 85%) que as outras. A Sanesul foi selecionada nesta nova fase também por atuar com rapidez e eficiência nos procedimentos relacionados com a manutenção e conservação do sistema de medições implantados, além de manter uma rotina operacional padronizada, garantindo ainda queima adequada do biogás produzido.

    A partir de avaliações dos resultados, verificou-se que é possível instalar um motogerador de 59 KW, o que equivale uma geração de 1.417 kWh/dia, a partir do biogás produzido na ETE Guaxinim, podendo levá-la a ser autossuficiente na geração de energia para atender sua própria demanda.

    Termo de compromisso com a UFMG para dar continuidade ao projeto

    Para continuar participando do projeto, a Diretoria da Sanesul assinou termo de compromisso com a Universidade Federal de Minas Gerais.
    ETE Guaxinim, localizada em Dourados

    Entre as obrigações da UFMG estão realizar empréstimo dos equipamentos durante o período de pesquisa, fazer o acompanhamento das medições realizadas pela Sanesul e emitir relatório final consolidando os resultados.

    Já a Sanesul, nesta nova etapa do projeto, deverá garantir acesso à ETE Guaxinim durante todo o período da pesquisa, fazer a manutenção da ETE e dos equipamentos instalados, acompanhamento das operações em campo quando necessário, permitir a troca de informações com outras companhias participantes do projeto e arcar com custos de transmissão de dados do sistema de telemetria implantado no projeto de medições.

    Os dados, ao término do projeto, serão publicados para conhecimento da comunidade científica, visando subsidiar a elaboração de projetos de pesquisas e aproveitamento do potencial energético do biogás.

    Sobre o Probiogás

    O objetivo principal do projeto Probiogás é ampliar o aproveitamento energético de biogás no Brasil, focando suas ações em instalações de tratamento de esgotos sanitários e resíduos sólidos, além de subsidiar a elaboração de projetos de pesquisas sobre o tema.

    São monitoradas em tempo real a produção de biogás nas plantas de tratamento selecionadas, o volume e temperatura do biogás, as concentrações de metano, sulfeto de hidrogênio e oxigênio, monitorando ainda a vazão instantânea da ETE e a concentração de DQO (Demanda Química de Oxigênio) na entrada e saída dos reatores.

    Os dados são coletados em tempo real pelas estações remotas e transmitidos através de um sistema de supervisão e telemetria para o banco de dados nacional do projeto, que nesta nova fase será coordenado pela UFMG.

    ***A Sanesul - Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul - é uma empresa pública, com autonomia administrativa e financeira, que compõe a administração indireta e está vinculada ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.





    Fonte: ASSECOM
    Por: Larissa Almeida
    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS