Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sábado, 29 de outubro de 2016

    ROSE x MARQUINHOS| Quais são as propostas para resolver problemas da Capital?

    Candidatos listaram soluções para deficiências específicas

    Reprodução

    Campo Grande apresenta quadros preocupantes em vários aspectos, como saúde, educação e segurança, mas também revela outros pontos específicos, cuja solução não acontece, mesmo diante de diferentes administrações. Considerando a fase de propostas de novos postulantes à Prefeitura, o Jornal Midiamax listou alguns dos principais problemas, para que Rose Modesto (PSDB) e Marquinhos Trad (PSD) avaliassem possíveis soluções.

    Na lista, a obra no bairro Cabreúva, que começou a cerca de 23 anos atrás. Inicialmente, era para ser o 'novo terminal rodoviário de Campo Grande', mas se tornou um verdadeiro imbróglio administrativo e quase sete gestões municipais depois, segue inacabada. A promessa é de reaproveitar o esqueleto da obra para construção de um Centro de Belas Artes.

    Falta de pediatras em unidades de atendimento é outra questão que sobe ao topo das falhas na área da saúde. Problemas na área da segurança, transporte e habitação também foram listados e cada candidato apresentou possíveis soluções. Confira abaixo cada tema e as propostas apresentadas e faça sua própria avaliação:

    1- TAPA-BURACOS


    Rose Modesto: “Vamos iniciar o trabalho com um rigoroso diagnóstico de necessidades e, a partir daí, elaborar um cronograma de execução das obras. Queremos mudar também nesta área: funcionar de forma regionalizada, para agilizar as obras e possibilitar mais fiscalização da população, que também contará com uma ouvidoria específica para solicitar serviços e fazer reclamações. Mas o principal é que vamos acabar com essa história de tapar o mesmo buraco não sei quantas vezes, sem resolver o problema. O estudo técnico e o início da recuperação deverão ocorrer em 90 dias".

    Marquinhos Trad: “Campo Grande conta com uma malha viária de 4.067,80 km dos quais 67,82% estão pavimentados, o que representa 2.758,80 km. Deste total, ao menos 60% estão em péssimas condições, pois o asfalto possui mais de 20 anos. Nestes locais, o serviço do chamado tapa-buraco, mesmo que constante, não dá resultado, é dinheiro jogado fora. Só este ano, por exemplo, a Prefeitura já gastou mais de R$ 17 milhões com este tipo de serviço, mas as ruas continuam esburacadas. Por isso, precisamos levantar essa situação a fundo e ver o que teremos que fazer de forma emergencial para arrumar a cidade. Ao mesmo tempo, vamos iniciar estudos para executarmos a requalificação de todas as vias. Vamos buscar parcerias com o Governo Federal, com o Governo Estadual, temos o PAC Qualificação das Vias Urbanas, com mais de R$ 300 milhões para recapeamento e pavimentação de 311 quilômetros de vias. Só assim teremos asfalto de qualidade e deixaremos de gastar em vão”.

    2- FALTA DE PEDIATRAS NAS UNIDADES DE SAÚDE



    Rose Modesto: "Mais de 200 médicos se demitiram da prefeitura por falta de perspectiva de carreira. E agora ainda vemos na imprensa a notícia de que o atual prefeito está reduzindo pessoal nos postos – médicos e enfermeiros – porque está no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Isso é um absurdo! Não dá pra trabalhar assim, reduzindo o que a população mais precisa. Pra nós, saúde é a primeira prioridade e é nessa perspectiva que vamos fazer o que precisa ser feito. Um caminho é ampliar as parcerias com os hospitais conveniados, com a UNIDERP, que possui um centro de especialidades médicas conveniado com a prefeitura, enquanto não se reestrutura do sistema. Isso tem que ser tratado como situação emergencial, imediatamente, pra cuidar do que não pode esperar. Temos consciência de que o atendimento básico é fundamental. Quando o posto de saúde não funcional, aumentam as filas e superlotam os hospitais".

    Marquinhos Trad: "A falta de pediatras nas unidades é um problema crônico, é preciso valorizar os profissionais, com um plano de cargos e carreira, discutido em conjunto com a categoria. É preciso atrair e dar motivação para os pediatras atuarem na rede pública. Mas, com gestão compartilhada e planejamento, é possível suprir essa deficiência. Vamos transformar os postinhos em Clínicas da Família, com atendimento em todas as áreas e cobertura em toda a cidade. Dinheiro tem, dá para fazer, a saúde representa 37% do orçamento de mais de R$ 3,6 bilhões, são R$ 1,6 bilhão para trabalhar".

    3- PRÉDIO ABANDONADO NO CABREÚVA, QUE SERIA O CENTRO DE BELAS ARTES



    Rose Modesto: "São 11 mil m² abandonados há mais de 21 anos. Um absurdo! Queremos retomar a obra epara isso será preciso vencer as pendências judiciais existentes. Podemos fazer parcerias também nessa área e buscar os recursos necessários. Esperamos que durante o nosso mandato possamos destiná-la como mais um espaço de cultura e lazer para o município".

    Marquinhos Trad: "O conceito da nossa administração será baseado na eficiência da gestão pública, eficiência nos gastos, nas pessoas, nos processos e obras. Isso é ter respeito com os cidadãos e não podemos admitir que obras públicas parem e virem sucatas como é o caso do Centro de Belas Artes. A nossa equipe avaliou e há pendências judiciais e também é necessário um laudo técnico para saber o estado da obra e se há segurança para continuar o empreendimento.

    Resolvidos os imbróglios e constatados que há condições de seguir com a obra, vamos analisar a possibilidade de viabilizar a conclusão por meio de uma parceria público-privada. Queremos que o Centro de Belas Artes de Campo seja um Ponto Cultural de intercâmbio da sociedade, universidades e escolas para a atualização e formação permanente em artes visuais, dança, música e teatro, especialmente em suas expressões regionais.

    4- OBRAS PARADAS DOS CEINFS



    Rose Modesto: "Como não existe transparência na prefeitura, precisamos diagnosticar cada uma das obras paradas, avaliar a situação do projeto, fazer uma nova estimativa financeira do quanto precisaremos para acaba-las e solicitar ao MEC e ao FNDE o destravamento dos processos e a liberação dos recursos, sanando eventuais irregularidades existentes. Esse processo de retomada das obras será feito já no primeiro mês. A conclusão das obras dependerá do estágio em que cada uma delas está. Tem obra mais avançada e outras com quase tudo ainda por fazer. Assumo compromisso de finalizar todas as 27 obras dos Ceinfs durante o meu mandato".

    Marquinhos Trad: “Atualmente, temos 26 Ceinfs em Campo Grande nestas condições. Deste total, 16 creches têm obras paralisadas, uma está em fase de construção e outras nove aguardam ordem de serviço da administração municipal. O que iremos fazer já nos primeiros dias de nosso mandato é retomar todas essas obras inacabadas, a fim de diminuir o déficit que, hoje, chega há mais de 10 mil crianças na fila de espera. Além de retomar as obras, vamos equipar as unidades, com brinquedos, material pedagógico, livros, além de valorizar os educadores”.

    5- PISO SALARIAL DOS PROFESSORES



    Rose  Modesto: "Vamos chamar os professores e a ACP para dialogar já no primeiro mês do meu mandato. Vamos mostrar o orçamento que estamos herdando e encontrar a solução de forma dialogada e responsável. Nosso compromisso é pagar o piso, sem enrolação! Como, aliás, fizemos no governo do Estado. Os sindicatos e representantes dos professores são testemunhas do nosso esforço e nossa correção".

    Marquinhos Trad: "Na nossa gestão os professores da rede pública municipal serão valorizados e terão orgulho e vontade de estar nas salas de aulas. Vamos cumprir com o pagamento do piso salarial de 20h, investir na qualificação e assegurar gestão democrática na eleição de diretores e adjuntos.

    6- MULTAS DE TRÂNSITO QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL PEDIU PRA CANCELAR



    Rose Modesto: "Tudo que está judicializado precisa aguardar a decisão legal. E o prefeito tem que acatar. A questão é fazer as coisas na forma da lei de de maneira correta. Nesse sentido vamos estreitar o diálogo com o Ministério Público e liminar as irregularidades eventualmente existentes.Tem que ser assim".

    Marquinhos Trad: “Vamos se reunir com o Ministério Público Estadual para discutirmos essa questão e, também, com a própria Justiça. Entendemos que, caso haja qualquer irregularidade, o cidadão não pode ser penalizado.

    7- CONTRATOS DA SELETA E OMEP



    Rose Modesto: "Nós vamos ter responsabilidade para tratar dos contratos existentes. Porque, em princípio, se está contratado e se está em vigência, no primeiro momento tem que ser cumprido e respeitado, sempre na forma da lei. Se há problemas ou se há possibilidade de melhorar o que está sendo feito, então vamos sentar com os contratados para discutir, com respeito e serenidade, sempre tendo o interesse público em primeiro lugar. Como em tudo falta transparência, nenhum desses contratos a gente conhece em detalhes. Se houver ajustes a serem feitos, e acho que há, nossa postura vai ser sempre de diálogo e transparência. Em todos esses casos eu vou representar os interesses dos cidadãos, da coletividade. E, como a gente sabe, porque a gente andou a cidade inteira, há muitas críticas da população nesses serviços e muitos ajustes precisam ser feitos em todas as áreas". 

    Marquinhos Trad: “Vamos conversar com representantes do Ministério Público Estadual para dizer que Campo Grande não pode ficar sem os 4,4 mil funcionários que hoje prestam serviços. Temos que criar uma alternativa para essas pessoas, que trabalham, sendo que algumas delas estão há 15 anos nesta função e nem sequer faltaram um dia de trabalho. Vamos encontrar uma maneira legal de manter estas pessoas até que a prefeitura consiga realizar um concurso para preencher as vagas.

    8- CONTRATO DA ÁGUAS GUARIROBA, VAI MANTER COMO ESTÁ OU NÃO?



    Rose Modesto: "Nós vamos ter responsabilidade para tratar dos contratos existentes. Porque, em princípio, se está contratado e se está em vigência, no primeiro momento tem que ser cumprido e respeitado, sempre na forma da lei. Se há problemas ou se há possibilidade de melhorar o que está sendo feito, então vamos sentar com os contratados para discutir, com respeito e serenidade, sempre tendo o interesse público em primeiro lugar. Como em tudo falta transparência, nenhum desses contratos a gente conhece em detalhes. Se houver ajustes a serem feitos, e acho que há, nossa postura vai ser sempre de diálogo e transparência. Em todos esses casos eu vou representar os interesses dos cidadãos, da coletividade. E, como a gente sabe, porque a gente andou a cidade inteira, há muitas críticas da população nesses serviços e muitos ajustes precisam ser feitos em todas as áreas". 

    Marquinhos Trad: "Vamos marcar reunião imediatamente com diretores da Águas para rever o contrato e, especialmente, três problemas que atingem diretamente o consumidor: primeiro, a taxa de esgoto. Não é justo que o consumidor pague 70% da tarifa de água pelo esgoto. Também vamos pedir uma revisão do consumo mínimo, de 10m³, bem como questionar a depredação do asfalto e reconstrução feita pela empresa de maneira inadequada.

    9- TAXA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA



    Rose Modesto: "Esse é um assunto que está judicializado, portanto, a discussão ainda não passa pela gestão. Mas caso seja mantida a cobrança, o fundamental é dar a devida aplicação dos recursos, o que não acontece hoje".

    Marquinhos Trad: “A questão está judicializada. Portanto, aguardaremos a decisão para tomar uma posição sobre a viabilidade ou não de cobrar. Agora, na nossa gestão, iluminação pública vai ser justa e eficiente. Ninguém aguenta mais pagar caro pelo serviço e viver na escuridão. Vamos fazer uma força tarefa para iluminar a cidade. Também vamos garantir transparência na arrecadação da Cosip, ninguém vai pagar caro para o dinheiro ficar parado. Vamos investir em lâmpadas de led para o serviço ficar mais eficiente e barato e, se estiver se arrecadando mais do que se gasta, vamos reduzir o valor da contribuição”.

    10- CONTRATO COM A SOLURB



    Rose Modesto: "Nós vamos ter responsabilidade para tratar dos contratos existentes. Porque, em princípio, se está contratado e se está em vigência, no primeiro momento tem que ser cumprido e respeitado, sempre na forma da lei. Se há problemas ou se há possibilidade de melhorar o que está sendo feito, então vamos sentar com os contratados para discutir, com respeito e serenidade, sempre tendo o interesse público em primeiro lugar. Como em tudo falta transparência, nenhum desses contratos a gente conhece em detalhes. Se houver ajustes a serem feitos, e acho que há, nossa postura vai ser sempre de diálogo e transparência. Em todos esses casos eu vou representar os interesses dos cidadãos, da coletividade. E, como a gente sabe, porque a gente andou a cidade inteira, há muitas críticas da população nesses serviços e muitos ajustes precisam ser feitos em todas as áreas". 

    Marquinhos Trad: “Nós vamos rever todos os contratos para avaliar se estão sendo cumpridos conforme assinado pelo prefeito e concessionárias. Toda e qualquer irregularidade será condenada pela nossa gestão, que desde o primeiro dia estará vigilante e atuante no combate ao desperdício do dinheiro público e melhor aplicabilidade”.

    11- CONTRATO COM CONSÓRCIO GUAICURUS (Transporte Coletivo)



    Rose Modesto: Repetiu resposta dada quanto aos contratos com Solurb e Águas. 

    Marquinhos Trad: Vamos exigir que eles cumpram o contrato. Eles têm um faturamento muito alto e oferecem um transporte de péssima qualidade. Exigiremos a redução ou o congelamento da tarifa, até que ofereçam o serviço correspondente ao preço aplicado atualmente.

    12- ATUAÇÃO DA GUARDA CIVIL MUNICIPAL



    Rose Modesto: "Nós temos que implantar o Estatuto da Guarda Municipal no município. Vamos treinar, capacitar e equipar a guarda, comprar armamentos e viaturas para que ela cumpra sua missão. Nosso projeto é integrar a guarda com as forças policiais pra melhorar a segurança pública da cidade".

    Marquinhos Trad: “Vamos reestruturar e reforçar a Guarda Municipal, com a criação da Polícia Metropolitana de Campo Grande. Com isso, aumentaremos as rondas nas unidades escolares e de saúde, visando diminuir o vandalismo e aumentar a segurança. Com planejamento de ações para a segurança pública, em conjunto com líderes comunitários, realizaremos um diagnóstico da violência nos bairros, para auxiliar na atuação de maneira efetiva”.

    13- CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES/ SORTEIOS



    Rose Modesto: "Construiremos 5 mil casas nos primeiros anos do nosso mandato. É uma proposta factível e já provamos isso no governo do estado. Os sorteios devem ser transparentes, como já prevê a legislação. Vamos ampliar a participação da sociedade civil no acompanhamento dos sorteios. Nós precisamos avaliar e definir critérios de seleção dos beneficiários de forma democrática, com a participação dos conselhos municipais e com os próprios beneficiários. Com relação às favelas, vamos agir para reverter a situação degradante das pessoas que moram nelas, em situação de grave vulnerabilidade. Precisamos de uma política habitacional específica que resgate essas as pessoas e entregue moradias dignas"

    Marquinhos Trad: “Vamos buscar parcerias com os governos do Estado e Federal, bem como da iniciativa privada, para construção de casas populares, distribuídas a quem realmente precisa. Vamos moralizar a distribuição, promovendo a transparência do sistema de sorteio. A atualização do sistema de informações da Empresa Municipal de Habitação contribuirá para a eficiência no trabalho, evitando a distribuição para pessoas que não precisam. Como secretário, trabalhei intensamente e acabamos com as favelas em Campo Grande. Repetiremos o trabalho com equipe técnica, capaz de atender a quem precisa, garantindo moradia digna”.




    Fonte: Midiamax
    Por: Alexandro Barboza
    Link original: http://www.midiamax.com.br/politica/rose-x-marquinhos-319154


    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS