Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 20 de outubro de 2016

    Pacto Global destaca capital como exemplo contra perdas de água

    Divulgação

    Enquanto mais de 35 milhões de brasileiros não têm acesso à água tratada, em média 37% do precioso recurso natural se perde antes de chegar as torneiras, em vazamentos na tubulação, ligações clandestinas ou medição incorreta do consumo (SNIS 2014). Para mostrar que com planejamento e investimento é possível enfrentar este problema, a Rede Brasileira do Pacto Global da ONU lançou o movimento “Menos Perdas, Mais Água”. Neste mês de outubro, foi lançada uma cartilha sobre o assunto, com exemplos de cidades que reduziram drasticamente as perdas no sistema de abastecimento de água – entre elas Campo Grande (MS).

    A publicação apresenta a Capital como um dos principais polos de desenvolvimento do Centro Oeste, estrategicamente situada sobre o Aquífero Guarani. O destaque é para a redução de perdas no sistema de abastecimento de água, operado pela Águas Guariroba, concessionária da holding Aegea Saneamento. Em dez anos, o índice foi reduzido de 56% para 19% após investimentos em obras, equipamentos e tecnologia. O número é quase a metade da média nacional e um dos menores entre as capitais do Brasil.

    A cartilha descreve as principais medidas adotadas para garantir maior controle da água fornecida e distribuída na cidade e reduzir as perdas na distribuição, entre elas ações preventivas para equalizar as pressões evitar o rompimento da tubulação; microsetorização de setores de fornecimento de água; agilidade no reparo das redes; geofonamento noturno para detectar vazamentos não visíveis; troca de hidrômetros antigos por medidores novos; e combate às fraudes.

    “Tudo passa pelo Centro de Controle de Operações. Ele é o grande diferencial. Investimos muito em telemetria e temos informações do que está acontecendo em tempo real na rede e nos reservatórios”, explica o diretor executivo da Águas Guariroba, Josélio Alves Raymundo. A publicação também destaca que Campo Grande já chegou a quase 100% de água tratada e tem a meta de universalizar a coleta e tratamento de esgoto até 2025.
    Divulgação

    A redução de perdas melhora o serviço de fornecimento de água prestado à população e é fundamental para a sustentabilidade das empresas de saneamento. De acordo com o diretor executivo da Águas Guariroba, além da eficiência na gestão, a redução de perdas é um avanço do ponto de vista ambiental. “Estamos falando de sustentabilidade, de preservação dos recursos naturais”, destaca Josélio Alves Raymundo.

    Movimento Menos Perdas, Mais Água

    O movimento conta com o apoio de mais de 50 empresas e agora busca o comprometimento dos agentes públicos com a “Carta aos Prefeitos”, para contemplar a redução de perdas de água em suas gestões. Aumentar a eficiência na distribuição até 2030 é a meta do movimento. Por meio do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 6 – “Garantir a disponibilidade e manejo sustentável da água e saneamento para todos”. O foco é reduzir o número de pessoas que sofrem com a escassez de água no Brasil.
    Divulgação

    Fundada em 2003, a Rede Brasileira do Pacto Global da ONU representa hoje a 4ª maior rede local, com mais de 700 signatários. Atuando em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), está sob a gestão de um comitê com 36 organizações de referência em sustentabilidade e empresas líderes em setores estratégicos para a economia brasileira (referência: http://www.pactoglobal.org.br/).




    Fonte: ASSECOM

    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS