Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 13 de outubro de 2016

    NOVA ALVORADA DO SUL| Prefeito autoriza licitação para aquisição de poltronas reclináveis para Hospital Municipal Francisca Ortega

    Divulgação

    Cumprindo o compromisso de continuar investindo na melhoria da qualidade de vida e saúde das pessoas, o prefeito Juvenal Neto (PSDB) e a secretária de Saúde Adeliza Maria Santos Abrami, autorizaram a realização de processo licitatório para aquisição de poltronas reclináveis para acompanhante de pacientes internados e colchões para camas hospitalares do Hospital Municipal Francisca Ortega.

    Os recursos utilizados foram liberados pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), através da Resolução 022/2016, da Secretaria de Estado de Saúde, no valor de R$ 30 mil mais contrapartida do município. Essa foi uma articulação que contou com a parceria da vereadora Rosana (DEM) e deputado estadual Zé Teixeira (DEM).

    O prefeito Juvenal Neto (PSDB) aproveita para lembrar que o Hospital Municipal Francisca Ortega passa pela maior obra de ampliação desde a sua construção em 2004. Estão sendo ampliados 600 metros quadrados e um investimento de mais de R$ 900 mil, através da parceria do ex-senador Ruben Figueiró (PSDB) e ex-deputado federal e atual governador do Estado Reinaldo Azambuja (PSDB). “Com a aquisição destas poltronas e a conclusão das obras de ampliação com certeza nossos profissionais terão mais condições de trabalho e os pacientes um local cada vez melhor para serem atendidos.” – afirma Neto.

    Neto ressalta ainda que caminha para o encerramento do mandato e, diante da Lei de Responsabilidade Fiscal, é obrigatório o fechamento das contas para entregar para o próximo gestor. “Todos os prefeitos estão empenhados em entregar uma administração sem dívidas para que o próximo prefeito dê continuidade nos trabalhos. Não vamos fazer igual o prefeito anterior que entregou mais de R$ 10 milhões em dívidas, prejudicando assim o atendimento da população e onerando os cofres públicos.”




    Fonte: ASSECOM

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS