Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 5 de outubro de 2016

    Marcela diz que fará trabalho voluntário para melhorar vidas

    Primeira-dama, ao lado de Temer, participou de evento do 'Criança Feliz'. Programa, voltado para crianças pobres, terá Marcela como embaixadora.

    primeira-dama Marcela Temer - Reprodução

    A primeira-dama Marcela Temer foi ao Palácio do Planalto na manhã desta quarta-feira (5), ao lado do presidente Michel Temer, para participar do lançamento do programa Criança Feliz, do qual será embaixadora. Ela assistiu ao evento no palanque das autoridades e fez um discurso de três minutos.

    Marcela disse que o trabalho dela será "sensibilizar" a sociedade para ações que possam "melhorar a vida das pessoas" e ressaltou que trabalhará de forma voluntária. O Criança Feliz terá como alvo crianças pobres do Bolsa Família.

    "Quem ajuda aos outros, muda a historia de vida. Por isso, fico feliz em colaborar em causas sociais do pais. Cada brasileiro, desde a gestação, importa para o desenvolvimento do brasil. Nossas responsabilidades aumentam a cada dia e os desafios também. Meu trabalho será voluntário para mobilizar e sensibilizar a sociedade em torno de ações para melhoria na vida das pessoas", disse a primeira-dama.

    Marcela abordou os cuidados na primeira infância e afirmou que uma criança que, desde o início da vida, recebe o tratamento adequado, tem mais chances de ter um desenvolvimento saudável nos anos seguintes.

    "Cercada de carinho e cuidados específicos desde a gravidez uma criança terá mais possibilidades de aprendizado quando chegar à escola. Os cuidados na primeira infância, por exemplo, ajudam a inibir o comportamento agressivo e violento na adolescência. Dessa forma, esse adolescente se tornará um adulto mais preparado para a vida", continuou Marcela.

    "O programa Criança Feliz, na sua plenitude, atenderá ao longo do tempo milhões de pequenos e pequenas que já são atendidos pelo programa Bolsa Família. É isso que o Brasil espera de nós: compromisso no presente para que o futuro de todos seja melhor", concluiu a primeira-dama.

    Criança feliz 

    O programa é coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS) e terá um aporte inicial de R$ 300 milhões. A iniciativa, de acordo com o governo, terá o objetivo de fortalecer políticas públicas para a primeira infância.

    O foco do programa serão as crianças de até 3 anos de idade cujas famílias são beneficiárias do Bolsa Família. A meta do Executivo federal é atender mais de 4 milhões de crianças em todo o país até 2018.

    A ajuda às crianças beneficiadas pelo programa não será financeira, mas se dará por meio de visitas semanais de especialistas na residência das famílias atendidas. Todas as ações visam reduzir o baixo desenvolvimento e a mortalidade infantil.

    Conforme o Ministério do Desenvolvimento Social, os especialistas que atuarão no Criança Feliz irão orientar os pais sobre atividades do dia a dia, como a forma correta de escovar os dentes dos filhos. Eles também vão alertar, segundo o governo, para datas de vacinações, sobre a importância de pesar as crianças, além de identificar bebês em situação de risco e violência.

    De acordo com o ministério, o projeto vai contar com a ajuda multidisciplinar de centros de referência de assistência social, escolas e pedagogos.

    O Criança Feliz tem como referência programas municipais de Pelotas (RS), Arapiraca (AL), Boa Vista (RR) e São Paulo (SP) voltados ao desenvolvimento infantil.

    O projeto gaúcho Primeira Infância Melhor, uma das referência do programa federal que terá Marcela Temer como embaixadora, foi criado em 2003, quando o atual ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, era secretário de Saúde do governo do Rio Grande do Sul.

    A iniciativa deverá seguir as diretrizes do Marco Legal da Primeira Infância, sancionado pela ex-presidente Dilma Rousseff em março deste ano.

    A adesão dos municípios ao programa é voluntária. Segundo o governo federal, neste ano, nove estados (Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo) mais 95 localidades que contam com projetos parecidos devem aderir ao Criança Feliz.



    Do G1, em Brasília
    Por: Luciana Amaral

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS