Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 25 de outubro de 2016

    'Hipster da Federal' é afastado do cargo, diz jornal

    Agente ganhou as redes sociais após prisão de Cunha e deu entrevistas na mídia 

    "Não consigo mais responder a todo mundo", disse Valença no 'Encontro'

    Lucas Valença, o “lenhador da Federal” que ganhou as redes sociais depois de conduzir Eduardo Cunha à prisão, foi afastado do cargo e teve de tirar férias, de acordo com a coluna de Ancelmo Gois no jornal O Globo. Valença posou e deu entrevista para o portal Ego e também participou do programa Encontro, de Fátima Bernardes, e do programa do Fábio Porchat.

    No Encontro, nesta segunda-feira (24), Valença falou sobre o aumento do número de seguidores nas redes sociais. "Não consigo mais responder a todo mundo", comentou. Também disse que não poderia dar detalhes sobre seu trabalho, entretanto confirmou com a cabeça que acompanhou Eduardo Cunha durante o voo. 
    Lucas Valença escolta Eduardo Cunha ao avião da Polícia Federal (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)


    A Polícia Federal abriria um processo disciplinar contra ele por conceder entrevistas sem autorização da corporação. Regras da PF determinam que os membros da corporação não podem dar declarações relacionadas ao trabalho sem consentimento.

    Valença já havia sido afastado do Comando de Operações Táticas (COT), a força de elite da PF, por ter utilizado uma lancha sem autorização, de acordo com informações da Época. Ele responde por processo administrativo relacionado ao episódio.

    "Ao ser chamado pra dar entrevista em canal de televisão de âmbito nacional, Lucas Valença não foi chamado enquanto representante da instituição, mas sim na condição de cidadão que possui interesse da sociedade em razão da sua beleza estética", diz nota de Lucas Valença enviada à imprensa nesta segunda-feira. 

    "Lucas reitera, assim como fez na entrevista, todo o seu respeito com a Instituição Policial Federal e, principalmente, em relação às investigações protagonizadas por nossos profissionais, sempre protegidas pelo sigilo e confidencialidade. Continuaremos construindo a Polícia Federal que a sociedade confia com muito zelo e responsabilidade", completa nota.



    Fonte: Jornal do Brasil

    Imprimir

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS