Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 14 de outubro de 2016

    Coluna do Roberto Costa



    INANIÇÃO – Quem tem por hábito ficar observando 24 horas o que o vizinho está preparando para o almoço e/ou jantar, na maioria das vezes acaba morrendo de fome simplesmente por sequer colocar a panela no fogo. 

    IGUALZINHO – No segundo turno das eleições para prefeito de Campo Grande, basta observar o horário eleitoral no rádio e na televisão, a preocupação é ‘salgar’ cada vez mais o cardápio do adversário. 

    IMPERCEPTÍVEL – Em Tacuru, o prefeito eleito, Dr. Cláudio Rocha (PR), corre o risco de não assumir. O problema é que sua chapa foi composta por um vice que, segundo a justiça, é declaradamente ‘ficha suja’. 

    RECORRER? – Candidatos que foram surrados nas urnas, que foram reprovados pelos eleitores, diante da votação pífia que receberam, estão pensando em pedir a recontagem dos votos. 

    HOLOFOTES – A velha guarda da política que foi eleita para mais um mandato na Câmara Municipal de Campo Grande, não terá vida fácil na próxima legislatura. A fiscalização será intensa. 

    VICE-LIDERANÇA – Não é nada confortável a situação política da vice-governadora e candidata a prefeita pelo PSDB, Rose Modesto. É que a pesquisa do Ipems para o Correio do Estado aponta Marquinhos (PSD) na liderança. 

    CORRUPTOS I – Nos últimos 13 anos, 127 servidores federais de Mato Grosso do Sul foram expulsos pelo Governo Federal, acusados de cometeram atos de corrupção. 

    CORRUPTOS II – A informação consta no último levantamento realizado pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU), divulgado recentemente. 

    REFORÇO – O deputado estadual e candidato a prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) conquistou o apoio de duas lideranças de peso: Alcides Bernal (PP) e José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT. 

    TUCANARAM – Carlos Alberto David dos Santos e Athayde Nery de Freitas Júnior, representando o PSB e o PPS, respectivamente, estão engajados na campanha de Rose Modesto para a prefeitura da Capital. 

    IMPERDOÁVEL I – Rafael Greca (PMN) não venceu no 1º turno em Curitiba (PR) por conta da seguinte declaração: “A primeira vez que tentei carregar um pobre e pôr dentro do meu carro, eu vomitei por causa do cheiro". 

    IMPERDOÁVEL II – Partindo do pressuposto que somos todos iguais no exercício do voto e na morte, fico aqui imaginando que Greca será o único corpo em decomposição ‘cheiroso’. Como diria Tião Macalé: Nojento! 

    “O que leva uma pessoa a ter nojo da outra só por ela ter a cor, religião, ou sexualidade diferente da sua? Ela deveria ter nojo de si mesma por tamanha ignorância.” Túlio Dias

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS