Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    segunda-feira, 10 de outubro de 2016

    Após celular pegar fogo, companhias proíbem Galaxy Note 7 ligado em voos

    Galaxy Note 7 - Reprodução

    Companhias aéreas que atuam no Brasil estão pedindo que passageiros mantenham desligados durante voos celulares do modelo Galaxy Note 7, da Samsung.

    As empresas também não estão permitindo que esses smartphones sejam despachados como bagagem.

    Devido a um problema na bateria dos aparelhos, que fez com que alguns deles pegassem fogo, a Samsung realizou um recall global de pelo menos 2,5 milhões de unidades do modelo em setembro.

    A ordem vem após a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) enviar um ofício às companhias aéreas no dia 12 de setembro alertando sobre os riscos do transporte desses aparelhos e recomendando que companhias aéreas pedissem a passageiros e tripulantes que não ligassem nem recarregassem esse modelo de aparelho dentro de aeronaves.

    A agência também recomendou que esses celulares só fossem transportados em bagagem de mão desligados.

    À reportagem, Latam e Avianca confirmaram estar seguindo esses procedimentos, proibindo o uso dos aparelhos em seus voos.

    No caso da primeira, os passageiros vêm sendo informados da proibição no site da companhia (na área que traz informações sobre bagagem de mão) e nas comunicações da tripulação à bordo, informa a assessoria de imprensa da Latam.

    As norte-americanas Delta e American Airlines afirmaram adotar os mesmos procedimentos, seguindo normas do Departamento de Transportes e da Administração Federal de Aviação dos EUA.

    A reportagem viajou de São Paulo a Dallas e, a seguir, para Nova York na última quinta-feira (6) em voos da American Airlines. Em ambas as viagens, durante as orientações da tripulação, foi pedido que celulares do modelo fossem mantidos desligados.

    A Air France-KLM disse que não se posicionaria sobre o assunto.

    Contatadas, Gol, Azul e Emirates não responderam até a publicação do texto.

    Fumaça

    Na última quarta-feira (5), um Galaxy Note 7 que, segundo seu proprietário, já havia sido substituído começou a soltar fumaça dentro de um avião da Southwest Airlines que iria de Indiana a Baltimore, nos Estados Unidos.

    A aeronave, que ainda estava no solo, foi evacuada.

    O caso levou a abertura de novas investigações da Comissão de Segurança de Produtos e Administração de Aviação Federal dos EUA.

    Mudança de cronograma

    Em nota, a Samsung afirma estar ciente do posicionamento da Anac sobre o uso e carregamento do Galaxy Note 7 durante os voos. A empresa solicita que os consumidores que adquiriram o aparelho no exterior ou viajantes de passagem pelo Brasil desliguem seus aparelhos durante as viagens.

    A companhia destaca que o produto ainda não foi comercializado no Brasil. A empresa informa que está ajustando temporariamente o cronograma de produção do Galaxy Note 7, a fim de tomar medidas adicionais para garantir qualidade e segurança.

    A Samsung pede que consumidores locais que compraram o produto fora do país que contatem os serviços de atendimento ao cliente da empresa.



    Por FOLHAPRESS

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS