Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quarta-feira, 21 de setembro de 2016

    VÍDEOS| Imagens de câmera de segurança flagram momento em que corpo de Bueno é incendiado

    Polícia acredita que ex-vereador chegou morto ao local

    ex-vereador de Campo Grande, Alceu Bueno - Divulgação/Arquivo

    Imagens divulgadas pela Polícia Civil na noite desta quarta-feira (21), mostram a explosão que se forma no momento em que o corpo do ex-vereador de Campo Grande, Alceu Bueno, é incendiado. No vídeo captado por câmeras de segurança de imóveis vizinhos, é possível ver quando dois homens chegam ao local, retiram o corpo do porta-malas do automóvel e por fim, ateiam fogo. Depois de analisar as imagens a polícia informou que acredita que Bueno já estava morto quando chegou ao local onde foi carbonizado. 

    “É possível constatar que possivelmente ele já estava morto quando foi carbonizado. As imagens não identificam o rosto, mas explicam a dinâmica de como abandonaram e tentaram ocultar o cadáver”, explica o delegado responsável pelo caso, Edilson dos Santos.

    No vídeo é possível ver duas pessoas chegando ao local. Eles dirigem o carro do ex-vereador, uma Land Rover prata, placas HTE, 9395 que ainda não foi encontrada. A dupla desce do veículo, retira o corpo de Bueno de dentro do porta-malas e, enquanto um dos criminosos afasta o automóvel, o outro ateia fogo no corpo. Eles gastaram pouco mais de dois minutos em toda ação.

    Aos dois minutos e 33 segundos de vídeo, é possível ver um clarão provocado pela explosão que se formou no momento em que o fogo é ateado no cadáver. Por causa disso o delegado acredita que espécie de combustível deve pode ter sido utilizado pela dupla. Hoje pela manhã quando o corpo foi encontrado, ainda havia chamas no cadáver. 

    Ainda segundo o delegado Edílson, Alceu Bueno foi morto logo após desaparecer, já que informações da família dão conta de que o último contato dele com os familiares foi 21h30 por mensagem de WhatsApp.

    "As 22 horas o celular já não dava mais sinal e nas imagens ele já aparece possivelmente morto dentro do porta-malas as 23h30. Ele foi morto neste intervalo, não ficaram muito tempo com ele”, relata.

    A polícia não descarta a hipóteses de que mais pessoas tenham participado da morte de Alceu Bueno e pede para que funcionários de postos de gasolina que tenham vendido combustível em galões avulsos ou que tenham atendido um veículo com as características do que foi usado no crime, entrem em contato com a polícia para prestar depoimento. O sigilo é garantido. 

    A polícia também procura a Land Rover do ex-vereador, usada no crime 

    Entenda 

    Desde o momento em que o homem foi encontrado, por volta das 7 horas desta manhã, a polícia já divulgava que fortes indícios indicam que o corpo era do ex-vereador.

    Um celular idêntico ao dele foi encontrado ao lado dos restos mortais e além de pinos de metais no braço do cadáver, iguais aos que o político tinha, como resquício de um acidente de motocicleta. Também foi encontrado, junto ao corpo carbonizado, distintivo semelhante ao que Bueno usava quando parlamentar, informações confirmada pela família dele. A confirmação, foi veio no fim da tarde, através da identificação das digitais.

    José Alceu Padilha Bueno foi eleito em 2012 e renunciou em 2015 depois de ter sido flagrado em um motel com duas adolescentes, com menos de 18 anos. Ele foi indiciado por ‘favorecimento à prostituição ou de outra forma de exploração sexual de vulnerável’. Imagens de um vídeo no qual o ex-vereador aparecia com as garotas no motel chegaram a ser divulgadas à época.

    Bueno alegou que era vítima de um esquema de extorsão, assim como o ex-deputado estadual Sérgio Assis, também flagrado no motel com as adolescentes. Três pessoas, Fabiano Viana Otero, Luciano Pageu e o ex-vereador Robson Martins, foram presos pelo crime.

    Veja os vídeos.








    Fonte: Midiamax
    Por: Clayton Neves e Geisy Garnes
    Link original: http://www.midiamax.com.br/policia/video-imagens-camera-seguranca-flagram-momento-corpo-bueno-incendiado-316281

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS