Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 2 de setembro de 2016

    Temer diz que manter direitos políticos de Dilma é 'pequeno embaraço'

    Ele minimizou importância da decisão para estabilidade do governo. Declaração foi dada ao chegar à China para reunião do G20.

    Temer chega à China nesta sexta-feira (2) para participar do G20 (Foto: Beto Barata/PR)

    O presidente Michel Temer disse nesta sexta-feira (2) que a decisão do Senado de preservar os direitos políticos da ex-presidente Dilma Rousseff após cassar o mandato da petista em julgamento de impeachment é um "pequeno" embaraço. Ele minimizou a importância do fato para a estabilidade do governo, segundo a Reuters.

    Temer fez a declaração em entrevista a jornalistas durante um encontro empresarial em Xangai, depois de chegar à China para participar de uma reunião de cúpula do G20 em Hangzhou, em sua primeira viagem internacional desde que assumiu a Presidência da República.

    O ministro das Relações Exteriores, José Serra, afirmou que o Brasil vai assinar nove acordos comerciais com a China em setores como agricultura, aviação e logística, incluindo um projeto de 3 bilhões de dólares na área de siderurgia, segundo a Reuters.

    Inicialmente, a viagem do presidente seria somente a Hangzhou, onde acontece o encontro do grupo que reúne as 20 principais economias do mundo, no domingo (4) e na segunda-feira (5). 

    Pela agenda divulgada pela assessoria, porém, o presidente da República terá ao longo dos próximos dias outros compromissos no país asiático. Ele aproveitará a viagem, entre outras atividades, para se reunir com empresários e com o presidente chinês Xi Jinping.

    Somente nesta sexta, por exemplo, estão previstos na agenda de Temer um encontro com o prefeito de Xangai, Yang Xiong, em um hotel na cidade. Em seguida, no mesmo hotel, o presidente e o prefeito participarão de uma cerimônia de assinatura de atos empresariais.

    Após o ato, informou a assessoria, Temer participará da cerimônia de encerramento do Seminário Empresarial de Alto Nível Brasil-China, do qual participarão empresários dos dois países interessados em fechar acordos comerciais. Em seguida, o presidente embarcará em direção a Hangzhou.

    G20

    A Secretaria de Imprensa da Presidência informou que a cúpula terá como um dos temas “centrais” a “promoção do crescimento econômico inclusivo e inovador”.

    Além disso, segundo a assessoria de Temer, o objetivo é “consolidar” o apoio do G20 à implementação da Agenda de Desenvolvimento 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU), da qual fazem parte as chamadas Metas de Desenvolvimento Sustentável.

    “A expectativa é de que os chefes de Estado das principais economias do mundo expressem o compromisso político com medidas de curto prazo e reformas estruturais de médio prazo que facilitem a superação definitiva da crise de 2008”, informou a Presidência.

    Temer discutirá com os presidentes dos países, entre outros assuntos, “novos caminhos para o crescimento, governança global econômica e financeira, comércio e investimentos internacionais, bem como outros temas que impactam a economia mundial.”

    A agenda prevê que Temer recebe os cumprimentos oficiais e pose para uma foto oficial ao lado dos líderes dos países que compõem o Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) na manhã de domingo. O encontro está previsto para começar às 10h10.

    No período da tarde, Temer se dirigirá ao Centro de Exposições de Hangzhou, onde posará para a foto oficial dos líderes do G20, e assitirá, às 15h30, à cerimônia de abertura da cúpula. Em seguida, o presidente participará da Primeira Sessão de Trabalho.

    À noite, o presidente da China, Xi Jinping, oferecerá aos líderes do G20 um jantar de boas-bindas, em um hotel em Hangzhou.

    Na segunda (5), está prevista uma entrevista de Temer à imprensa pela manhã, antes de retornar à cúpula do G20 para a segunda, terceira, quarta e quinta Sessões de Trabalho. Em meio ao encontro, o presidente também dedicará parte da agenda a encontros com os primeiros-ministros da Espanha, Mariano Rajoy, da Itália, Matteo Renzi.

    A cerimônia de encerramento da cúpula está prevista para o fim da tarde e Temer deve retornar a Brasília na sequência. Pela previsão do Planalto, o presidente da República desembarcará na capital na terça (6), às 14h. Na quarta (7), Dia da Independência, Temer assistirá ao desfile militar na Esplanada dos Ministérios.




    Do G1, em São Paulo

    --

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS