Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    sexta-feira, 9 de setembro de 2016

    PF prende suspeitos de tráfico de drogas em dois estados e no DF

    Grupo trazia entorpecentes do MS, passava por GO e distribuía em Brasília. Justiça determinou apreensão de 23 carros e bloqueio de contas bancárias.

    PF usa carro descaracterizado em cumprimento a mandado em residência de Campo Grande (Foto: Osvaldo Nóbrega/ TV Morena)

    A Polícia Federal cumpre na manhã desta sexta-feira (9) 26 mandados de prisão contra suspeitos de integrar uma quadrilha de tráfico de drogas interestadual. De acordo com as investigações da Operação Caldeirão, os criminosos atuavam transportando entorpecentes em veículos de passeios e caminhonetes do Mato Grosso do Sul, passando por Goiás e chegando ao Distrito Federal. São seis mandados no DF, cinco em Goiânia (GO), 12 em Campo Grande (MS) e três em Ponta Porã (MS).
    Carros apreendidos pela Polícia Federal em operação contra tráfico de drogas no DF, MS e GO (Foto: Polícia Federal/Divulgação)

    Em Campo Grande, policiais federais estiveram em uma residência do bairro Portinho Pache, que é de classe média alta. Eles chegaram ao local em viatura descaracterizada, e um chaveiro foi chamado.
    Policiais com preso na delegacia de Ponta Porã, MS (Foto: Martim Andrada/ TV Morena)
    Policiais federais cumprem mandado em casa do bairro Portinho Pache, em Campo Grande (Foto: Osvaldo Nóbrega/ TV Morena)

    A corporação informou que, durante o pouco mais de um ano de investigação, foram feitos oito flagrantes e presas 17 pessoas. Também foram apreendidos 5,7 mil kg de maconha e 10 kg de cocaína. Em uma das ações, um dos investigados foi morto depois de atirar contra os policiais federais.

    Nesta sexta, também são cumpridos 26 mandados de busca e apreensão e cinco de notificação ao bloqueio de imóveis. Todos foram expedidos pela 8ª Vara Criminal de Goiânia (GO). Com isso, devem ser apreendidos 23 carros e bloqueadas as contas bancárias dos 26 investigados.

    Os presos vão responder por tráfico interestadual de drogas, por associação e por financiamento ao tráfico. Juntas, as penas podem atingir 20 anos de prisão.

    O nome da operação faz alusão ao termo usado pelos investigados, informou a polícia. Eles chamavam de “caldeirão” os veículos que transportariam os entorpecentes.




    Do G1 DF*
    *Colaborou G1 MS

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS