Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    quinta-feira, 22 de setembro de 2016

    Pedro Chaves mobiliza governador e ministros para visita ao Pantanal

    Foto : Senador Pedro Chaves e o Deputado Federal Augusto Carvalho

    Após audiência pública na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor, Fiscalização e Controle do Senado Federal, nesta quarta-feira (21), presidida pelo senador Pedro Chaves (PSC-MS), com a participação do deputado federal Augusto Carvalho (Solidariedade-DF), que reuniu ambientalistas e produtores rurais para discutir o avanço nocivo do plantio da soja no Bioma Pantanal, foi anunciada a visita do governador do Mato Grosso Pedro Taques, e dos ministros do Meio Ambiente Sarney Filho, e do Turismo Alberto Alves, ao Pantanal sul-mato-grossense.

    Ao lembrar que antes de assumir o Senado, sempre participou de debates com ambientalistas, Pedro Chaves, membro do SOS Pantanal, também acompanhava o avanço da soja no Pantanal do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso, com o uso cada vez mais intenso de defensivos agrícolas.

    “Nas chuvas, essas águas invadiam os corixos, lagos e rios no Pantanal provocando danos irreparáveis à fauna e à flora. Hoje, no Senado, ao debater o assunto com ambientalistas e produtores rurais, vamos buscar uma legislação que discipline as boas práticas da agricultura no planalto e, consequentemente, harmonizar economia e ecologia”, declarou.

    O presidente do Instituto SOS Pantanal, Roberto Klabin, lamentou que o Pantanal, destino de turistas de todo o mundo para observação de fauna silvestre, tenha hoje a harmonia da natureza com as atividades humanas locais fortemente hoje ameaçada.

    Ao observar a relação entre planalto e planície, o presidente do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), Ângelo Paccelli Rabelo, afirmou que a ocupação de locais estratégicos na parte alta está provocando danos irreversíveis na planície, como a redução de biodiversidade e o comprometimento de nascentes.

    "A iniciativa do senador Pedro Chaves foi determinante para levantar um tema que estava senado acobertado: não só a questão da soja, mas também outras ameaças ao Pantanal como o Projeto Cabeceiras. O IHP, em parceria com a Rede de Proteção da Serra do Amolar, estão extremamente motivados. Acreditamos ser essa uma oportunidade única em que deveremos, com o apoio do senador, provocar uma discussão mais séria e equilibrada, no Senado Federal, e avançar para uma regulamentação através de um projeto de Lei do Pantanal, e rumo a outras oportunidades fundamentais que garantam o futuro desse importante bioma", avaliou.

    “É preciso conter a ocupação agrícola de áreas mais sensíveis, para evitar efeitos ambientais que possam levar à destruição do Pantanal”, alertou Paulo Carneiro, diretor do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

    Próximos passos

    O senador Pedro Chaves lembrou projetos importantes que tramitam no Senado, como o PLS 750/2011, de autoria do então senador Blairo Maggi, hoje, ministro da Agricultura, disciplinando as ações de proteção, preservação, limitações para o desmatamento, dentre outras, no Bioma Pantanal. 

    Focado em reativar o Conselho da Biosfera, uma vez o Pantanal declarado patrimônio natural da humanidade, o senador Pedro Chaves, comemorou o sucesso da audiência pública: ““Todos saíram daqui entendendo que haverá uma ação política eficiente para viabilizar um projeto que possa harmonizar a produção com o meio ambiente, com desenvolvimento sustentável. E apesar do recesso branco, a audiência teve a participação de pessoas que vieram dos mais longínquos rincões do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul. Foi um sucesso, casa cheia”.





    Fonte: ASSECOM

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS