Campo Grande (MS),

  • LEIA TAMBÉM

    terça-feira, 27 de setembro de 2016

    'Nunca recebi 10 centavos deles', diz corretor de Olarte ao deixar cadeia

    Ivamil na porta do Centro de Triagem, em Campo Grande, minutos depois de ser solto, nesta terça-feira (Foto: Guilherme Henri)

    O corretor Ivamil Rodrigues, apontado como responsável por ajudar o casal Gilmar e Andreia Olarte em aquisições imobiliárias fraudulentas, deixou o Centro de Triagem na tarde desta terça-feira (27). Ao deixar o local, ele falou e negou participação em esquema de lavagem de dinheiro: “nunca recebi nem 10 centavos do Gilmar Olarte ou de sua esposa, o meu lucro era comissão junto com demais corretores”, declarou.

    Ele informou que, das dez vendas de imóveis investigadas na Operação Pecúnia, o nome dele aparece em três. Ivamil disse ainda que pretende provar inocência e espera Justiça e reforçou que era apenas um prestador de serviços, um corretor comissionado como qualquer outro.

    Ivamil teve a prisão revogada ontem pela Justiça. A família pagou fiança de R$ 10.560.

    O caso 

    Ivamil Rodrigues foi um dos presos em decorrência da Operação Pecúnia, deflagrada pelo Gaeco ( Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), no dia 15 de agosto. Além dele também foram presos o ex-vice prefeito, Gilmar Olarte, a esposa dele Andreia Olarte e o empresário Evandro Simões Farinelli. Todos tiveram a prisão revogada.

    As investigações da operação Pecúnia começaram a partir dos dados obtidos com a quebra do sigilo bancário de Andréia Olarte e de sua empresa, denominada Casa da Esteticista. Ainda segundo a operação, entre 2014 e 2015, enquanto Olarte ocupava o cargo de prefeito, Andréia adquiriu vários imóveis na Capital. Os bens totalizaram R$ 3,6 milhões, com preferência por imóveis em condomínios de luxo.

    Alguns bens ficaram em em nome de terceiros, com pagamentos iniciais em elevadas quantias (dinheiro, transferências bancárias e depósitos). Conforme a investigação, a princípio, os bens são incompatíveis com a renda do casal. A ação foi realizada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).




    Fonte: campograndenews
    por: Christiane Reis e Guilherme Henri
    Link original: http://www.campograndenews.com.br/cidades/capital/nunca-recebi-10-centavos-deles-diz-corretor-de-olarte-ao-deixar-cadeia

    RECENTES

    POLÍTICA

    CONCURSOS